ESPAÇO

Estrela gigantesca desaparece em galáxia distante e intriga cientistas

Astrônomos do Observatório Europeu do Sul ficaram intrigados ao notar que uma estrela gigantesca desapareceu de uma galáxia anã que fica a milhões de anos-luz da Terra. Os cientistas acreditam que isso pode indicar que ela se tornou menos brilhante ao ser obscurecida por poeira cósmica. Uma outra explicação aponta para algo inédito, caso seja comprovado: a estrela teria entrado em colapso e se transformado em um buraco negro sem produzir uma supernova.

"Se for verdade, seria a primeira detecção direta de uma estrela-monstro terminando sua existência dessa forma", disse Andrew Allan, doutorando do Trinity College de Dublin, na Irlanda. Entre 2001 e 2011, várias equipes de astrônomos estudaram a misteriosa estrela gigante, localizada na galáxia anã Kinman. As  observações dos pesquisadores indicaram que ela estava no estágio final de sua evolução. Isso a transformou no objeto de estudo perfeito para Allan e seus colaboradores, que queriam descobrir mais sobre como essas estrelas morrem.

Mas, em 2019, quando eles apontaram o Very Large Telescope (VLT), maior conjunto de telescópios ópticos do mundo, para a galáxia Kinman eles tiveram uma grande surpresa. "Ficamos surpresos ao descobrir que a estrela havia desaparecido", afirmou  Allan, que liderou o estudo  publicado hoje no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. "Seria altamente incomum uma estrela tão grande desaparecer sem produzir uma explosão brilhante de supernova", completou.

Dados antigos indicavam que a estrela poderia estar passando por um forte período de explosão que provavelmente terminou em algum momento após 2011. Estrelas variáveis luminosas azuis como essa tendem a sofrer explosões gigantescas ao longo de sua vida, fazendo sua luminosidade aumentar drasticamente.

Os astrônomos sugeriram duas explicações para o desaparecimento da estrela e a falta de uma supernova gerada por uma explosão. A primeira hipótese diz que a explosão pode ter resultado na estrela observada em um astro menos luminoso, que pode ter sido parcialmente escondido pela poeira cósmica. A outra teoria sugere que a estrela pode ter colapsado em um buraco negro, sem produzir uma explosão de supernova. Esse seria um evento raro: baseado no que se sabe sobre estrelas massivas, a maioria delas termina sua existência com a explosão de uma supernova.


Fonte: Observatório Europeu do Sul (ESO)

Imagem: ESO/L. Calçada/Divulgação