HUMANIDADE

Estudo aponta que os tripulantes do Mars One morreriam rapidamente de fome

O projeto Mars One, concebido e promovido pelo holandês Bas Lansdorp, que planeja estabelecer uma colônia televisionada em Marte, em 2023, começando com um contingente de quatro voluntários que não poderão retornar à Terra de nenhuma forma, foi considerado, desde o início, um projeto ousado e difícil de imaginar. Agora, um grupo de pesquisadores se deu ao trabalho de calcular a sério suas possibilidades de concretização, chegando a conclusões um pouco desanimadoras.

Segundo o estudo, os voluntários morreriam de fome um pouco antes de chegar ao planeta vermelho. Primeiro, porque a proposta de cultivar na nave as plantas e os alimentos para a tripulação é inviável, já que o sistema de produção e armazenamento de alimentos não seria suficiente para gerar a quantidade de calorias que os astronautas necessitariam ingerir todos os dias. E segundo, porque o nível de oxigênio produzido pelas plantas dentro dos habitáculos acabaria sendo fatal. Além disso, o trabalho destaca um problema na hora de substituir partes danificadas do sistema, já que, se não houver uma missão de abastecimento nos dois anos seguintes, 62% da carga inicial deverá ser composta de peças de reposição.

Lansdorp reconhece que um dos principais desafios é o das reposições e evitou mencionar o fato de que, do jeito que as coisas estão planejadas até o momento, seus colonizadores inevitavelmente morreriam de inanição.

Fonte e imagens: Gizmodo e Popular Science