Aviação

Extraordinário avião supersônico da NASA promete revolucionar o transporte aéreo

Depois de mais de três décadas de desenvolvimento, o X-59, o primeiro avião supersônico experimental da NASA, atingiu sua etapa final. Trata-se de um novo sistema de aviação civil que, por meio do design Quiet Supersonic Technology (QueSST), alcançará velocidades extraordinárias. Além disso, o consumo de combustível será consideravelmente menor que o de aviões anteriores, como o célebre Concorde. O avião também terá uma explosão de som drasticamente menor, tornando viável sua circulação sobre regiões povoadas.

Seu design, exótico em aparência, é crucial para a redução do som produzido ao viajar em velocidades supersônicas, dado por uma onda de alta pressão, com capacidade destruidora. Nesse sentido, a NASA estuda as explosões supersônicas desde a década de 1970 para desenvolver aeronaves mais seguras e silenciosas. Assim, o X-59 foi concebido com asas de 9 metros de largura, um motor situado na parte superior e os canards (pequenas asas localizadas à frente da asa principal) localizados de forma distinta aos aviões convencionais

Com um custo superior aos 247 milhões de dólares, o avião supersônico da NASA está passando pelos últimos testes antes de começar a sobrevoar algumas regiões dos Estados Unidos. Durante esse processo, sensores e especialistas em terra avaliarão sua performance para mais tarde estabelecer uma nova série de normativas para reger os voos supersônicos comerciais. Até os dias de hoje, esse tipo de voo só é permitido sobre as regiões oceânicas. 

Vondo a uma velocidade de 1.488 km/h, o avião da NASA poderia viajar de Nova York até Londres em três horas (em aeronaves normais, a rota sem escalas é feita em pouco mais de oito horas). "Temos tudo para continuar essa missão de pesquisa histórica para as viagens aéreas", disse Bob Pearce, do setor de Aeronáutica da agência espacial dos Estados Unidos.


Fonte: NASA

Imagem: Lockheed Martin/NASA/Reprodução