meio ambiente

Filtro que purifica água usando luz solar rende prêmio da ONU para jovem brasileira

Pela primeira vez, uma brasileira ganhou o prêmio Jovens Campeões da Terra Meio Ambiente, da Organização das Nações Unidas (ONU). Anna Luisa Beserra, 21 anos, graduada em Biotecnologia pela Universidade Federal da Bahia, foi premiada pelo projeto de um filtro que purifica a água usando apenas a luz solar. A invenção é de baixo custo, fácil manutenção e pode durar até 20 anos. 

O filtro Aqualuz purifica a água da chuva coletada por cisternas de áreas rurais por meio de raios solares e um indicador muda de cor quando o consumo é seguro. Assim, a água é desinfetada sem o uso de substâncias nocivas como o cloro. O projeto de Anna foi desenvolvido junto com outros estudantes da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal do Ceará. Hoje, distribui água potável para 265 pessoas e alcançará mais 700 ainda neste ano. Ao lado de colegas, ela fundou a startup de impacto socioambiental SDW (Safe Drinking Water For All).

O Aqualuz consiste em uma caixa de inox coberta por um vidro e uma tubulação simples. Em alguns passos o usuário obtém água potável por meio da luz irradiada pelo sol. Primeiro a água da cisterna é bombeada até a caixa, passando por um filtro ecológico feito de sisal, que retém as partículas sólidas. Depois disso, a água armazenada na caixa de inox passa por um ciclo de desinfecção, sendo exposta à radiação solar e à alta temperatura que desativa o DNA dos patógenos remanescentes no líquido. Por fim, a água é retirada pela torneira acoplada à caixa de inox, pronta para consumo após um ciclo de quatro horas.

Anna teve a ideia para o projeto quando ainda cursava o ensino médio e viu um cartaz do Prêmio Jovem Cientista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). "Eu quis pensar em algum projeto para participar que pudesse resolver uma das maiores problemáticas do Semiárido", disse. Na época, a estudante não ganhou a premiação. 

Quando ingressou na Universidade Federal da Bahia, decidiu tirar a ideia do papel. "Comecei a conhecer o empreendedorismo e a ver o potencial da ideia", afirmou. "Meu propósito é levar o direito básico à água limpa para as comunidades carentes nas áreas rurais", disse ela. "Queremos ajudar a melhorar a vida das pessoas e salvar vidas", completou.


Fontes: Universa, Agência Brasil, ONU e Universidade Federal do Ceará

Imagens: Jovens Campeões da Terra Meio Ambiente/ONU/Reprodução