Tutancâmon

Fotos colorizadas da descoberta da tumba de Tutancâmon detalham tesouros do faraó

Em 1922, o arqueólogo britânico Howard Carter fez história ao descobrir a tumba de Tutancâmon. A exploração da câmara funerária do faraó do Egito se estendeu por anos e foi registrada pelas lentes do fotógrafo Harry Burton. Agora, algumas dessas imagens foram colorizadas, revelando detalhes impressionantes dos tesouros arqueológicos encontrados pelos pesquisadores.

As fotos, originalmente registradas em preto e branco, pertencem ao acervo do Instituto Griffith, da Universidade de Oxford. A instituição restaurou as imagens, colorizando-as usando uma tecnologia chamada Dynamichrome. O processo usa ferramentas digitais para restaurar os negativos originais danificados ao longo do tempo e depois insere camadas individuais de cores nas fotografias P&B.

O faraó Tutancâmon reinou entre 1336 a.C e 1327 a.C. Ele assumiu o trono quando tinha cerca de 9 anos, por isso também ficou conhecido como o "faraó-menino". Morreu aos 19 anos, sem herdeiros. Sua tumba ficou lacrada até ser descoberta por Carter. Em seu interior havia um sarcófago de pedra contendo três caixões, um dentro do outro. No último deles, estava a múmia do faraó, preservada por mais de três mil anos.

Recentemente, foi lançado um passeio virtual pelo salão de Tutancâmon no Museu Egípcio para que o público possa visitá-lo sem sair de casa. No local estão expostos vários tesouros encontrados no interior de sua tumba. Entre os objetos mais importantes em exibição estão a famosa máscara de ouro do faraó, o sarcófago interno, feito de ouro maciço, o sarcófago do meio, e os pequenos sarcófagos de ouro onde estavam depositados seus órgãos. 


Fonte: IFLScience

Imagens: Instituto Griffith/Universidade de Oxford/Colorizado com Dynamichrome