CURIOSIDADES

A história por trás do cadáver dono do rosto mais beijado do mundo

Uma adolescente de aproximadamente 16 anos morreu afogada no Rio Sena, em Paris, no final da década de 1880. A jovem nunca foi identificada e ninguém sabe exatamente quais foram as circunstâncias de sua morte (especula-se que tenha sido suicídio). Apesar de ter morrido precocemente, a história dela estava longe de terminar.

Quando a jovem foi retirada das águas, foi transportada para o necrotério de Paris e posta em exibição ao lado de outros corpos para fins de identificação. Logo, ela passou a ser chamada de L'Inconnue de la Seine (A Desconhecida do Sena). Apesar de não ter sido reconhecida, ela chamava atenção por sua expressão serena.

Foi quando alguém teve a ideia de fazer um molde de seu rosto tranquilo e transformá-lo em máscara mortuária. Com o tempo, cópias da imagem passaram a ser vendidas em lojas de souvenirs na França, Alemanha e por toda a Europa. Muitos artistas também utilizavam o rosto em seus estúdios como modelo para desenhos. Além disso, ela passou a ser musa inspiradora para diversos escritores e poetas, que romantizavam seu triste fim. Assim, L'Inconnue de la Seine se tornou um improvável ícone cultural. 

AH Folsom, c. 1890/CC BY-NC-ND

A saga da Desconhecida do Sena continua de forma surpreendente no século XX, graças a um homem chamado Asmund Laerdal.  O norueguês havia fundado uma empresa de brinquedos e livros infantis nos anos 1940. Um de seus produtos mais populares era uma boneca de plástico chamada "Anne". A história de Laerdal se conecta com a da jovem afogada no Sena quando seu próprio filho quase morreu afogado, aos dois anos de idade. Felizmente o empresário conseguiu salvar a criança, conseguindo retirar a água de seus pulmões.

Um tempo depois, Laerdal foi abordado por um grupo de médicos que planejavam lançar um boneco para demonstrar uma nova técnica de ressuscitação, conhecida como reanimação cardiopulmonar (RCP). Devido ao susto que passou com o filho, Laerdal aceitou a proposta e, com a ajuda de especialistas,  como o médico austríaco Peter Safar, pioneiro da RCP, passou a desenvolver um manequim destinado para praticar a técnica. Como modelo para o rosto, o empresário usou a famosa máscara da Desconhecida do Sena.

Nos anos 1960, a empresa de Laerdal lançou a boneca batizada de Resusci Anne. O manequim é considerado o primeiro e mais bem-sucedido “simulador de pacientes” de todos os tempos. O dispositivo ajudou centenas de milhões de pessoas a aprender o básico de como para salvar uma vida com a RCP. Estima-se que dois milhões de pessoas tenham sido ressuscitadas pela técnica. Por estar no mercado há quase 60 anos recebendo respiração boca a boca, o rosto de Resusci Anne (ou melhor, da Desconhecida do Sena) é considerado o mais beijado de todos na história.


Domínio Público

Laerdal/Reprodução


Fonte: Science Alert

Imagem: Domínio Público, via Wikimedia Commons