AUSTRÁLIA

Incêndios na Austrália: ameaça sem precedentes pode levar animais e plantas à extinção

Segundo Chris Dickman, especialista em biodiversidade da Universidade de Sidney, os incêndios florestais que vêm acontecendo na Austrália podem devastar a fauna do país. Em uma entrevista à BBC, o cientista garantiu que “somente nos três milhões de hectares que foram queimados no estado de Nova Gales do Sul nos últimos 10 dias, é provável que até 480 milhões de mamíferos, répteis e aves tenham sido diretamente afetados pelos incêndios”.

No entanto, esse cálculo não envolve as espécies afetadas em outros estados, para onde os incêndios se expandiram. Ele afirmou que uma das espécies mais afetadas é a dos coalas, cujo hábitat foi destruído em cerca de 30%. Estima-se que ao menos 8 mil coalas tenham morrido de maneira direta pelos incêndios, e que muitos mais podem morrer por falta de água e alimentos. Isso porque o fogo destrói as árvores que sustentam complexos ecossistemas.

Muitos desses animais também podem morrer devido ao ataque de predadores de outras espécies introduzidas pelos humanos na região, como gatos selvagens e raposas vermelhas. Cerca de 34 espécies e subespécies de mamíferos nativos foram extintas na Austrália nos últimos 200 anos. Essa é a maior taxa de extinção registrada no mundo.

A nova onda de incêndios trata-se de uma ameaça sem precedentes na história do país, que levará a uma implacável extinção de plantas e animais. O consenso científico aponta que os incêndios agravam e aprofundam a crise da flora e da fauna já instituída pelas mudanças climáticas. 


Fontes: BBC e Universidade de Sidney

Imagens: Shutterstock.com