PANDEMIA

Instituto alemão diz que a pandemia de coronavírus pode durar até dois anos

A duração da pandemia de coronavírus pode ser mais longa do que as pessoas imaginam. Lothar Wieler, diretor do Instituto Robert Koch (RKI), disse que a situação pode se estender por até dois anos. O órgão é responsável pela prevenção e controle de doenças na Alemanha. 

Segundo Wieler, a pandemia de COVID-19 tem o potencial de continuar a assolar o mundo por 24 meses. Como as pandemias costumam se comportar como "ondas", o diretor do RKI afirma ainda que vários fatores influenciam em sua duração. Entre eles, estão o número de pessoas que irão desenvolver imunidade ao COVID-19 após contrair o vírus e quanto tempo levará para o desenvolvimento de uma vacina. 

O RKI classificou o risco de infecção por coronavírus na Alemanha como "alto". Para conter a disseminação da doença, o país tem anunciado medidas de distanciamento social, como o fechamento de escolas e creches. Wieler não descarta a possibilidade de que algumas dessas medidas emergenciais sejam mantidas por um longo tempo. 

Para tentar conter o avanço do vírus, a Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou algumas medidas básicas que devem ser adotadas pela população. Confira abaixo o que fazer para se prevenir:

Higienize as mãos

Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel.

Por quê?  Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.

Mantenha distância social

Mantenha pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes.

Por quê? A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.

Evite tocar os olhos, o nariz e a boca

Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação.

Por quê? As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.

Pratique higiene respiratória

Tenha boas práticas de higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente.

Por quê? Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada previne não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.

Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente.

Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente.

Por quê? Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.

Uso de máscaras

Pessoas saudáveis, sem sintomas como febre, tosse ou espirros não precisam usar máscaras.

Por quê? Apenas profissionais de saúde e pessoas que apresentem sintomas parecidos com os do novo coronavírus precisam usar máscaras. A função das máscaras é conter a propagação do vírus em quem já está infectado. A OMS recomenda o uso racional das máscaras.

Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde

Por quê? Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.


Fontes: Deutsche Welle e Daily Mail

Imagem: Shutterstock.com