algas

Invasão do muco verde pelo mundo expõe marca pegajosa da destruição da natureza

Um estranho limo verde está se espalhando pelo mundo e obstruindo rios na Europa, América do Sul e Oceania. Trata-se de uma espécie de muco, produzido pela alga microscópica Didymosphenia geminata. O Didymo, como foi apelidado, é transportado pelo ser humano, através de barcos que navegam por diferentes rios.

 

Quando o Didymo cria seu muco gigante, não está se reproduzindo, mas se transformando de algo benigno para algo maligno

Pesquisadores estão convencidos de que o muco não seria um problema, mas um sintoma: a marca incômoda e pegajosa das grandes mudanças que estão ocorrendo nos sistemas de água doce no mundo inteiro. E explicam que, quando o Didymo cria seu muco gigante, não está se reproduzindo, mas se transformando de algo benigno para algo maligno.

E este é um efeito paradoxal da destruição causada pelo ser humano: o Didymo só se torna maligno quando há pouco fósforo na água, um nutriente frequentemente associado à poluição de detergentes e fertilizantes. Isto significa que, ao tentar reduzir a contaminação de fósforo, é propiciada a invasão do muco verde.

Curiosamente, a presença do Didymo na água eleva a quantidade de insetos pequenos, como os mosquitos e borrachudos, e reduz a dos maiores, de modo que não só não afeta os peixes, mas lhes proporciona mais alimento. Assim, as consequências desta praga insólita não passam de sua desagradável presença estética e de certo incômodo aos pescadores, além de demonstrar, de maneira escandalosa, os efeitos da presença humana nos ecossistemas de água doce.

Fonte e imagens: BBC e Nuestro Mar