GAMES

Jogar videogame pode ajudar a conseguir um emprego melhor

O hábito de jogar videogames ainda é malvisto por alguns, mas essa situação está mudando rapidamente. Atualmente, até exércitos estão de olho nos gamers. Segundo um porta-voz da Força Aérea Real Britânica, “a capacidade de assimilar informações, reagir rapidamente e coordenar ações enquanto se mantém a calma sob pressão, são atributos comuns às pessoas que são boas em videogames”. Aproveitando esse potencial, uma iniciativa surgiu no Reino Unido para ajudar os jogadores a desenvolverem seu potencial profissional.

Todos os dias, mais e mais pessoas descobrem que seu passatempo pode ser coisa séria e que podem aplicar suas habilidades na vida real. A startup Game Academy analisa os hábitos dos jogadores e oferece cursos que potencializam o uso dessas habilidades no ambiente profissional.  Os criadores da companhia sugerem que essas habilidades podem até constar nos currículos futuramente. "Se (os empregadores) exigem liderança, por que não posso ressaltar meus anos liderando ataques no World of Warcraft?", indaga David Barrie, um dos fundadores da Game Academy.

Segundo o jogador Matthew Ricci, se você joga EVE Online, basicamente já possui um mestrado em administração de empresas. Ricci era diretor de uma corporação de centenas de jogadores dentro do jogo, e há quatro anos ajuda marcas internacionais a ingressar no mercado canadense.

O preconceito contra os jogadores de videogames está desaparecendo e cada vez mais empresas os contratam para cargos de importância. Ryan Gardner, diretor regional da companhia de recrutamento Hays, garante que há muitas habilidades sociais que os jogadores podem utilizar em um ambiente profissional, como o trabalho em equipe, a resolução de problemas e o planejamento estratégico.


Fonte: BBC 

Imagem: Shutterstock.com