COLONIALISMO

Massacre indígena durante colonização da América teria alterado a temperatura da Terra

De acordo com um estudo da University College de Londres, no Reino Unido, a matança de nativos durante a colonização da América no século XV teria até mesmo comprometido o clima do planeta. O estudo revelou como o assentamento europeu nas novas terras gerou o abandono de gigantescas regiões agrícolas previamente cultivadas, que foram progressivamente substituídas por árvores de crescimento rápido e outras vegetações.

Vídeo relacionado:

A área que deixou de ser cultivada pela população indígena era de aproximadamente 56 milhões de hectares, aproximadante o tamanho da França. Consequentemente, foi retirada da atmosfera uma quantidade de dióxido de carbono que gradativamente gerou um resfriamento planetário. A ciência registrou esse período frio sob o nome de "Pequena Idade do Gelo". 

O estudo levou em consideração o número de habitantes da América antes do desembarque europeu, em 1492, que era de aproximadamente 60 milhões de pessoas, ou cerca de 10% da população mundial. Depois das doenças introduzidas pelos europeus, as guerras e o colapso social, no final do século XV, estima-se que o número de habitantes tenha sido reduzido a um total de 5 ou 6 milhões de pessoas. 

“O massacre dos povos indígenas da América levou ao abandono de terras cultivadas suficientes para que a absorção de carbono resultante tivesse um impacto considerável tanto no CO₂ atmosférico quanto nas temperaturas da superfície terrestre”, afirmou Alexander Koch, um dos autores do estudo.


Fonte: BBC 

Imagem:  John Carter Brown Library/Brown University/Reprodução