ISRAEL

Menino de seis anos encontra raro artefato de 3500 anos em Israel

Um menino de apenas seis anos fez uma descoberta incrível em Israel. Imri Elya estava fazendo uma caminhada com seus pais pela localidade de Tel Jemmah quando se deparou com uma pequena tabuleta de argila. O artefato tem cerca de 3500 anos e mostra um prisioneiro nu sendo escoltado pelo homem que o capturou.

Imri e seus pais entregaram a peça à Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA). Os pesquisadores da instituição constataram que se trata de um artefato raro, o único do tipo encontrado até hoje no país. O objeto mede 2.80 cm x 2.80 cm e data do fim da Idade do Bronze, época em que as cidades-estado de Canaã estavam sob o domínio do Egito.

De acordo com os especialistas, a gravura parece indicar diferenças étnicas entre captor e prisioneiro. Enquanto o primeiro apresenta cabelo enrolado e o rosto cheio, o outro é magro e tem o rosto alongado. A peça "abre uma janela visual para entender a luta pelo domínio no sul do país durante o período cananeu", disseram os arqueólogos Saar Ganor, Itamar Weissbein e Oren Shmueli, da IAA, em um comunicado.

Segundo Saar Ganor, o artefato era provavelmente uma espécie de lembrança de uma vitória, semelhante a um distintivo ou medalha de honra. Como foi feita a partir de um molde, é possível que outras peças similares foram produzidas e distribuídas como forma de comemoração. O menino Imri Elya recebeu um certificado de "bom cidadão" por entregar o artefato à Autoridade de Antiguidades de Israel.


Fontes: The Times of Israel, Jewish Telegraphic Agency e Cufi.org

Imagens:  Autoridade de Antiguidades de Israel/Reprodução