DESCOBERTA ARQUEOLÓGICA

Misteriosos crânios alongados de adolescentes são encontrados na Croácia

Arqueólogos encontraram os restos mortais de dois adolescentes com crânios alongados na localidade de Osijek, na Croácia. Os especialistas acreditam que eles foram enterrados há cerca de 1500 anos. Agora, os cientistas querem resolver um mistério: por que os crânios apresentam formatos diferentes entre si?

Segundo os pesquisadores a deformação craniana artificial (ou ACD, na sigla em inglês) é uma prática irreversível e proposital feita por adultos em crânios infantis. Por milhares de anos, grupos humanos de várias partes do mundo modificaram crânios de forma intencional amarrando a cabeça de bebês com tecido ou prendendo a cabeça deles entre dois pedaços de madeira. Cientistas acreditam que geralmente essa prática tinha como objetivo identificar um grupo étnico ou posição social.

Os restos mortais encontrados na Croácia datam de uma época conhecida como "Grande Migração", quando houve uma intensa interação entre povos de diferentes localidades europeias. Além dos dois jovens com crânios alongados, no local havia um terceiro esqueleto cujo crânio não apresentava modificações. As idades dos adolescentes variam entre 12 e 16 anos.

"A observação mais significativa, baseada em análise DNA, é que esses indivíduos variam muito em suas ancestralidades genéticas", disse Mario Novak, do Instituto de Antropologia de Zagreb. Segundo ele, o indivíduo sem deformação craniana apresenta ancestrais associados ao Oeste da Eurásia. Já o jovem com deformação craniana do tipo ereto-circular tem ascendência associada ao Oriente Médio, enquanto o outro rapaz com o crânio alongado tem ascendência asiática oriental. Agora os especialistas procuram descobrir se a prática do alongamento de crânio estava relacionada com a identidade cultural desses adolescentes.


Fonte: IFLScience

Imagem: Daniel Fernandes, Kendra Sirak, Olivia Cheronet, Rachel Howcroft, Mislav Čavka, Dženi Los, Josip Burmaz,  Ron Pinhasi, Mario Novak/PLoS ONE/Reprodução