pré-história

Mudanças climáticas podem ter levado neandertais ao canibalismo

Entre 128 mil e 114 mil anos atrás, durante o último período interglacial, o clima da Terra enfrentou um grande aquecimento. Esse fenômeno alterou ecossistemas e afetou a vida de plantas e animais. Pesquisadores franceses sugerem que as condições extremas podem ter levado os neandertais ao canibalismo.

Os cientistas chegaram a essa conclusão a partir de evidências encontradas na caverna de Baume Moula-Guercy, no sul da França. Lá havia esqueletos de seis neandertais. As circunstâncias em eles foram achados indicam prática de canibalismo. Alban Defleura e Emmanuel Desclaux, autores do estudo, acreditam que as mudanças climáticas provocaram escassez de presas, como mamutes e bisões, forçando com que os neandertais devorassem uns aos outros em momentos de desespero.

Os cientistas acreditam que essas mudanças abruptas de temperatura podem ter acontecido muito rapidamente. Durante aquele período teria havia um colapso da população humana no continente europeu. Apenas alguns grupos teriam se mantido em poucas regiões.

[VÍDEO RELACIONADO: Os mistérios das cavernas da China Antiga que intrigam os cientistas]

Apesar dos indícios de que o canibalismo entre neandertais tenha sido fruto da necessidade, os pesquisadores não descartam a possibilidade de que a prática possa ter sido motivada por fatores culturais ou ritualísticos. Segundo eles, há evidências de canibalismo cultural em outros sítios arqueológicos da Europa, mas esse não parece ser o caso dos esqueletos da caverna de Baume Moula-Guercy.


Fonte: Newsweek

Imagem: Ökologix, via Wikimedia Commons