enigmas

"Mulher bárbara" enterrada há dois mil anos com joias romanas intriga arqueólogos

Arqueólogos estão intrigados com uma descoberta feita na região do norte do Cáucaso, na Rússia. Eles encontraram uma tumba contendo o corpo de uma "mulher bárbara" sepultada há cerca de dois mil anos. O mais surpreendente é que ela foi enterrada usando joias do Império Romano, algo bastante incomum para a região.

Os restos mortais foram encontrados nas montanhas da república russa de Cabárdia-Balcária. As joias indicam que a mulher pertencia a uma classe social elevada. Os pesquisadores acreditam que ela era esposa ou parente de algum guerreiro ou líder importante de um povo conhecido como Alanos. A mulher foi encontrada enterrada entre um guerreiro e dois outros homens.

A mulher usava dois anéis fabricados com o uso de uma tecnologia bastante complexa, segundo a arqueóloga Anna Kadieva, chefe da equipe responsável pela descoberta. "Cada um deles foi fundido em vidro branco transparente com fibras douradas do mesmo material e uma incrustação de vidro escuro no meio", disse. Kadieva garante que não há dúvidas de que os artefatos sejam romanos. A pesquisadora explica ainda que as joias deveriam ser muito valiosas para os bárbaros, pois não havia produção de vidro no norte do Cáucaso naquela época.

Além dos anéis, também foi encontrado um medalhão de ametista junto com os restos mortais da mulher. Kadieva classifica a peça como uma pedra preciosa “de alta classe”. "Chegamos à conclusão de que os guerreiros ricos do norte do Cáucaso presenteavam seus entes queridos com joias caras", afirmou a arqueóloga. Novas análises serão necessárias para descobrir quem exatamente eram essas pessoas.


Fonte: Daily Mail

Imagens: North Caucasus United Archeology/Reprodução