COVID-19

Mulher de 101 anos nascida durante a pandemia de gripe espanhola se cura do coronavírus

Angelina Friedman, de 101 anos, nasceu em um navio que viajava da Itália para os Estados Unidos durante a pandemia de gripe espanhola de 1918. Ela sobreviveu ao câncer, a abortos espontâneos, hemorragias internas e sepse. Agora, ela acaba de ficar curada do coronavírus.

Amy Elba, administradora do lar de idosos North Westchester Restorative Therapy, em Nova York, onde Friedman mora, disse que ela tirou a doença de letra. Segunda ela, a idosa voltou a se comportar de formar alegre, celebrando a vida como se nada tivesse acontecido. As enfermeiras que a trataram relataram que Friedman logo estava comendo novamente e inclusive procurando por fios para tricotar.

Joanne Merola, filha de Angelina Friedman, disse que sua mãe e seu pai contraíram câncer ao mesmo tempo, mas somente ela se salvou. "Ela não é humana. Seu DNA é sobre-humano”, disse Merola. Segundo ela, sua mãe se isolou no hospital e teve febre por várias semanas enquanto lutava contra o coronavírus, até 20 de abril, quando ficou curada.

A mãe de Friedman morreu durante o parto no navio. Suas duas irmãs ajudaram a criá-la no Brooklin, em Nova York, até que reencontrassem seu pai, vindo da Itália. Friedman é a última sobrevivente de 11 irmãos.


Fonte: CNN 

Imagens: North Westchester Restorative Therapy/Facebook/Reprodução