saúde

Mulher perde dois filhos para o sarampo por acreditar em notícias falsas sobre vacinas

O movimento antivacina é um perigo para a saúde pública. Uma mulher nas filipinas perdeu dois filhos para o sarampo porque acreditou em notícias falsas sobre supostos perigos da vacinação. O país sofre um surto da doença, com quase 500 mortos desde o início do ano.

As duas crianças de Arlyn B. Calos morreram no intervalo de uma semana. "Deveria ter protegido meus filhos, assim eles não teriam pegado sarampo", disse à BBC. Ela também afirmou que sente raiva por ter dado ouvidos à informações falsas nas redes sociais. 

Boatos sobre uma nova vacina contra dengue, chamada Dengvaxia, estariam na origem do pânico nas Filipinas. Apesar de nada ligar a vacina à morte de crianças, alguns pais ficaram alarmados. Assim, a campanha de vacinação acabou sendo ignorada por parte da população.

No Brasil, a população tem acesso gratuito às vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar disso, não foi possível atingir a meta de ter 95% da população-alvo vacinada nos últimos dois anos. Algumas possíveis causas da queda da vacinação no país são o desconhecimento dos benefícios das vacinas e fake news espalhadas em grupos com campanhas antivacinas.


Fonte: BBC

Imagem: Shutterstock.com