PANDEMIA

Nações Unidas alertam que coronavírus poderá provocar fome de proporções bíblicas

As Nações Unidas alertam que a pandemia do novo coronavírus poderá resultar em uma grave crise humanitária no futuro próximo. Se ações urgentes não forem tomadas, populações mais pobres estarão sujeitas a uma fome de proporções bíblicas, segundo David Beasley, diretor-executivo do Programa Alimentar Mundial (WFP, na sigla em inglês). Segundo ele, cerca de 36 países estão em risco de enfrentar uma situação dramática.

"Hoje, com o COVID-19, quero enfatizar que não estamos apenas enfrentando uma pandemia global de saúde, mas também uma catástrofe humanitária global. Milhões de civis que vivem em nações em conflito, incluindo muitas mulheres e crianças, estão sendo levados à beira da fome", disse Beasley. De acordo com ele, é necessário agir rápido para garantir o acesso dessas pessoas à comida. 

O alerta foi feito dias após a divulgação de um relatório global da WFP sobre crises alimentares. Segundo o documento, as regiões mais preocupantes são Iêmen, República Democrática do Congo, Afeganistão, Venezuela, Etiópia, Sudão do Sul, Sudão, Síria, Nigéria e Haiti. O estudo aponta que vários fatores estão por trás das crises alimentares dessas nações, mas os principais são conflitos, instabilidade política, crises econômicas, desastres naturais e mudança climáticas.

Além disso, as quarentenas e a recessão econômica devem causar uma grande impacto na renda dos trabalhadores pobres. A perda de receitas turísticas também prejudicará diversos países. Beasley disse ainda que antes que a gravidade da pandemia do COVID-19 fosse percebida, o mundo já poderia estar enfrentando a pior crise humanitária desde a Segunda Guerra Mundial. Entre os fatores determinantes para essa situação, ele listou as guerras na Síria e no Iêmen e os enxames de gafanhotos que atingem partes da África.


Fontes: IFLScience, Newsweek e WFP

Imagem: Shutterstock.com