ESPAÇO

Ninguém consegue explicar o repentino aumento de oxigênio em Marte

O robô Curiosity, da NASA, que percorre a superfície de Marte desde o ano de 2012, fez recentemente uma das descobertas mais enigmáticas de sua missão. O equipamento detectou um aumento nos níveis de oxigênio de Marte, algo que os cientistas ainda não conseguiram explicar.

A descoberta foi feita a partir das mostras de ar que o robô coletou em seu percurso pelo planeta vermelho. O Curiosity determinou também que o oxigênio sofre variações dependendo das estações, o que foi divulgado pelo Journal of Geophysical Research. Essa é a primeira vez que os cientistas observaram esse tipo de comportamento em suas pesquisas sobre o planeta vermelho. 

"A primeira vez que percebemos isso (o aumento de oxigênio) foi chocante", afirmou Sushil Atreya, professor de ciências climáticas e espaciais da Universidade de Michigan. "Estamos nos esforçando para encontrar uma explicação", disse Melissa Trainer, cientista planetária no Goddard Space Flight Center da NASA, que liderou a pesquisa. "O fato de o comportamento do oxigênio não ser perfeitamente repetível a cada estação nos faz pensar que não é um problema relacionado à dinâmica atmosférica", completou. 

Os pesquisadores acreditam que a causa  pode vir de uma fonte química, algo na superfície do solo que mude a cada estação, já que não há átomos de oxigênio disponíveis na atmosfera para criar esse aumento. Eles estão considerando todas as opções, embora não tenham nenhuma evidência convincente de atividade biológica em Marte. De acordo com a NASA, a Curiosity não possui instrumentos que possam dizer definitivamente se a fonte de oxigênio em Marte é biológica ou geológica. Os cientistas acreditam que explicações não biológicas sejam mais plausíveis.


 Fonte: NASA

Imagem: Shutterstock.com