ESPAÇO

Nova pesquisa detalha "galáxia canibal" que exterminará a Terra (e toda a Via Láctea)

Ao longo da história, a humanidade tem se perguntado como será o final de seus dias. Desde as primeiras civilizações, foram previstos finais apocalípticos diversos, e várias vezes a Terra enfrentou extinções massivas que mudaram o curso de sua história. Atualmente, a NASA e outras grandes agências estão preocupadas em prevenir o impacto de um grande asteroide, a erupção de um supervulcão, e outros cataclismos que podem acabar com a vida humana. 

No entanto, mesmo que essas terríveis previsões aconteçam e a vida seja ameaçada (ou mesmo exterminada), a Terra continuará existindo. Mas não para sempre. Há anos, astrônomos apontam que uma colisão entre a Via Láctea e outra galáxia deve causar o final da Terra.  Mas um novo estudo da Universidade Nacional Australiana dá novos detalhes sobre a ameaça representada por essa "galáxia canibal". 

A galáxia vizinha que acabará com a Via Láctea está tão próxima que pode ser vista por um telescópio. Trata-se de Andrômeda, que já devorou outras galáxias menores que ela. A nova pesquisa encontrou evidências de galáxias mais antigas sugadas pela força gravitacional de Andrômeda. Os cientistas observaram que aglomerados de estrelas foram deixados para trás como um tipo de farelo estelar resultante de antigas "refeições" de Andrômeda. O estudo sugere ainda que o histórico de canibalismo galáctico remonta a 10 bilhões de anos.

Mas ninguém precisa se preocupar com o fim iminente da nossa galáxia. A boa notícia é que tudo isso só deve acontecer daqui a 4 bilhões de anos, quando a Terra já seria inabitável. Confira abaixo uma simulação da colisão galáctica fatal:

Fontes: news.com.au e CNN

Imagem: Shutterstock.com/NASA