meio ambiente

Nuvem de gafanhotos que se alastra pela Argentina pode alcançar o Brasil

Uma nuvem de gafanhotos que se alastra pela Argentina pode chegar ao nosso país. Os insetos vieram originalmente do Paraguai, onde já haviam feito estragos nas lavouras de milho. No momento, a praga está avançando na fronteira do território argentino com o Brasil e Uruguai.

Autoridades argentinas dizem que a espécie de gafanhoto que avança na América do Sul se chama Schistocerca cancellata. Nos anos 1960, esses insetos causaram grandes danos nas plantações do país. Esses gafanhotos podem devorar em um dia o equivalente a consumo alimentar de 2 mil vacas ou 350 mil pessoas.

Segundo os especialistas, os insetos podem alcançar o oeste do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, o que pode trazer riscos às lavouras desses estados.  De acordo com o Ministério da Agricultura do Brasil, há registros desses insetos no país desde o século XIX. Eles causaram grandes prejuízos às lavouras de arroz na região Sul do país nas décadas de 1930 e 1940. Mas desde aquela época não se tem notícia de formações de novas nuvens de gafanhotos.

Na Argentina, as regiões mais afetadas são as províncias de Santa Fé, Formosa e Chaco. Nesses locais, onde há plantações de cana-de-açúcar e mandioca, a condição climática é favorável para a proliferação dos insetos. Segundo especialistas, os fatores que levaram ao ressurgimento da praga na América do Sul podem estar relacionados a uma conjunção de fatores climáticos, como temperatura, índice pluviométrico e dinâmica dos ventos.


Fonte: G1

Imagem: Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-Alimentar da Argentina)/Reprodução