ALIENÍGENAS DO PASSADO

O mistério da Estrela de Tabby e a megaestrutura alienígena

O enigma em torno de uma estrela e sua "megaestrutura alien" apenas se aprofundou.


A estrela KIC 8462852, como é mais conhecida, apresenta tantas irregularidades em suas cintilações que um astrônomo especulou que somente uma enorme construção extraterrestre poderia justificar esse comportamento estranho nas variações do seu brilho.

Uma observação mais cuidadosa dessa estrela a 1480 anos-luz da Terra mostrou que ela está escurece rapidamente e fora de qualquer padrão conhecido. O mais intrigante é como isso acontece. Recentemente, uma nova análise, sugere que a estrela escureceu mais rápido ao longo dos últimos quatro anos - tudo isso só serviu para aumentar o enigma.

"Parece que cada vez que alguém olha para a estrela, tudo se torna cada vez mais estranho", disse Benjamin Montet, no Instituto de Tecnologia da Califórnia, líder do estudo.

Civilização extraterrestre

A KIC 8462852 também é conhecida como Estrela de Tabby por causa do seu descobridor Tabetha Boyajian, da Universidade de Yale. Quando a estrela foi identificada pelo Telescópio Kepler havia uma deterioração da luz de 20%, o que era totalmente fora dos padrões normais de perda de luz causado pela passagem de um exoplaneta, que é de 1%. 

Astrônomos buscaram inúmeras explicações para o fato. A estrela foi às manchetes quando Jason Wright, da Universidade Estadual da Pensilvânia, anunciou que uma civilização extraterrestre avançada poderia ser responsável pelo sinal.


Chapas reveladoras


No entanto, o assunto da estrela ganhou mais um capítulo quando Bradley Schaefer, da Universidade Estadual de Louisiana, em Baton Rouge, encontrou antigas chapas fotográficas, de 1890 a 1989. Mais de 1.200 imagens revelaram Tabby havia ficado 15% mais escura ao longo de um século. Com mais essa novidade, ninguém parecia ser capaz de entender o mistério e muito menos debater o resultado das chapas fotográficas. Isso até Montet e seu assessor Josh Simon perceberem que a resposta poderia estar nos dados do Kepler.

A dupla descobriu que a estrela tem três padrões/ciclos de escurecimento. Porém, isso ainda não ajuda a explicar seu comportamento estranho e único. As explicações por enquanto variam desde um enxame de cometas que orbitam a estrela e causam essa variação, até uma nuvem que possa intervir no meio interestelar.


E a megaestrutura alienígena avançada?

E o conceito de megaestrutura alienígena avançada? "Uma vez que você está chamando alienígenas avançados que usam uma tecnologia que está muito além da nossa, então não há muito que pode ser explicado", disse Simon. "Mas nós realmente queremos esgotar todas as outras possibilidades naturais até concluirmos que seja isso."


Mesmo Wright, o astrônomo que postulou a estrutura extraterrestre, admite que este é um último recurso.

Enquanto isso, os astrônomos continuam estudando a estrela. Uma campanha de crowdfunding arrecadou mais de US$ 100 mil, permitindo que os astrônomos observem a estrela por um ano no Las Cumbres Observatory Global Telescope Network.

 



Fonte: New Scientist
Imagem: JPL-Caltech/NASA