CIENCIA

O primeiro transplante de cabeça será em 2017 e irá usar realidade virtual

Os planos do médico italiano Sergio Canavero de realizar o primeiro transplante de cabeça se parecem cada vez mais com um roteiro de ficção científica.

 Agora o neurocirurgião anunciou que sua equipe irá usar equipamentos de realidade virtual para preparar o paciente para encarar sua nova realidade após a operação.

Canavero pretende fazer a cirurgia no fim de 2017 na Inglaterra. A ideia é transplantar a cabeça de um homem vivo para o corpo de um doador com morte cerebral. A operação, que está prevista para durar 36 horas, envolve a reconexão da coluna cerebral e da veia jugular. O paciente que se submeterá ao procedimento experimental é o russo Valery Spiridonov, um cientista da computação de 30 anos, que sofre de um tipo severo de atrofia muscular.

O projeto de Canavero têm recebido diversas críticas de outros médicos desde o anúncio da cirurgia polêmica. Um deles chegou a dizer que o paciente enfrentaria um destino “pior do que a morte”. Como resposta, Canavero anunciou que irá empregar a realidade virtual para ajudar na adaptação de Spiridonov ao novo corpo. 

O equipamento foi desenvolvido por uma empresa chamada Inventum Bioengineering Technologies. Além dos óculos de realidade virtual, o equipamento usa um guindaste para manter o paciente em pé com o objetivo de criar uma experiência de imersão capaz de simular a sensação de caminhar e de exercer outras funções motoras. Spiridonov deve usar o equipamento durante meses antes da operação.


Fonte: IFLScience

Imagem: Inventum Bioengineering Technologies/Divulgação