kamikaze

O terrível Vento Divino que colocou em xeque a marinha norte-americana

Próximo ao final da 2ª Guerra Mundial, com vitória quase certa para os Aliados, eis que surge uma nova esperança para os japoneses.

 

Quando o exército japonês já não possuía homens e recursos técnicos para combater a invasão aliada na 2a. Guerra Mundial, os jovens foram chamados para dar sua alma em nome da honra. Eles formaram o “Vento Divino”, que foi como ficaram conhecidas as tropas suicidas japonesas que surgiram com o objetivo de causar danos graves ao exército aliado. O capitão Motoharu Okamura propôs aos seus superiores conter a ofensiva inimiga utilizando a estratégia kamikaze. Foi assim que surgiu, em Taiwan, em 1944, o primeiro campo de treinamento para soldados suicidas.

 

Os jovens, que eram recrutados em universidades e academias militares, comprometiam-se a dar suas vidas em troca de uma morte honrosa, defendendo sua pátria. Os soldados treinados para tal fim colidiam deliberadamente seus aviões ou barcos, carregados com explosivos, contra seus alvos.


Estima-se que, durante os meses que a “Unidade de Ataque Especial Shinpu” esteve ativa, 2.800 kamikazes afundaram 34 navios de guerra e danificaram outros 368, causando 4.900 mortes e ferindo 4.800 soldados inimigos.

Apesar disso, a terrível ofensiva kamikaze não foi capaz de conter o ataque. A derrota atingiu o Japão em agosto de 1945, com a unidade especial dissolvida diante da rendição incondicional do Império do Japão, pondo fim à Segunda Guerra Mundial.

 

 


Fonte: Ciencia Historica

Imagem: Royal Navy official photographer aboard HMS Victorious (R38) [Domínio Público], via Wikimedia Commons