CIENCIA

Pesquisadores encontram no cérebro de ratos região do cérebro responsável pela motivação para exercícios, e já apontam futuras aplicações para seres humanos

Uma equipe de pesquisadores descobriu qual é a região do cérebro que controla a motivação dos ratos para a realização de exercícios, de acordo com um novo estudo. Os pesquisadores criaram camundongos geneticamente modificados que nasceram sem os neurônios na parte medial dorsal de uma região do cérebro chamada habenula. A principal diferença notada após esta modificação é que os animais afetados não gostavam de correr em rodas para rato, algo que bichos deste tipo gostam de fazer, relataram os pesquisadores em um artigo publicado no Journal of Neuroscience.

Mas, qual o objetivo de fazer este tipo de manipulação nos ratinhos? A resposta é a busca por futuros medicamentos antidepressivos, já que muitos pesquisadores apontam que o exercício físico pode ajudar as pessoas com depressão. E se uma droga fosse capaz de “imitar” os efeitos emocionais do exercício sobre o cérebro?

É claro que muito ainda precisa ser investigado antes do lançamento de qualquer tipo de medicamento que atue sobre esta área do cérebro na batalha contra a depressão. Há a questão simples de verificação, com replicação de estudos, para o caso de esta região do cérebro ser realmente responsável por fazer com que os ratos tenham vontade de se exercitar. Em seguida, os cientistas terão que ver se a área análoga em cérebros humanos funciona de forma semelhante.

Também é preciso investigar se esta região do cérebro possui alguma conexão com a depressão, ou seja, a simples vontade de se exercitar é eficaz contra a doença? Por fim, é sempre um desafio projetar drogas seguras e eficientes, mesmo com todos os objetivos alinhados. De qualquer maneira, os cientistas realizaram um conjunto adicional de experiências que indicam que a habenula medial dorsal pode ser um bom alvo para os antidepressivos.

Fontes:

Journal of Neuroscience

Popular Science