CLONAGEM

Polêmica conquista científica: China clona o primeiro gato

A clonagem de mamíferos é uma realidade desde que os cientistas criaram a ovelha Dolly, em 1996. E, neste ano, foi dado um passo muito importante para o desenvolvimento da técnica polêmica. Isso porque o primeiro gato foi clonado com sucesso na China.

Quando Garlic, um gato de 2 anos e 5 meses de idade morreu, seu dono, Huang Yu, não se resignou a perdê-lo para sempre. Meses antes da morte do animalzinho, Yu havia conhecido o programa de clonagem da empresa chinesa de biotecnologia Sinogene, que já havia clonado mais de 40 cachorros. Assim, após a morte do felino, ele levou seus restos mortais a um hospital veterinário para que fossem extraídas as células necessárias para o procedimento.

Depois de quase um ano de trabalho, após ter sido realizada uma transferência de embriões em uma mãe "de aluguel", que não era da mesma raça, nasceu um gatinho geneticamente igual ao primeiro Garlic. Esse é um grande avanço, pois as características reprodutivas dos gatos são diferentes das da maioria dos animais, o que dificulta a clonagem. "Os gatos não têm ovulação espontânea, sendo um dos poucos animais indutores de ovulação”, explicou o veterinário Shi Zhensheng.

Os cientistas observaram o novo Garlic durante cerca de um mês e disseram que ele está em boas condições físicas, agindo como outros gatinhos gerados naturalmente. O procedimento custou cerca de 35 mil dólares, mas seu dono disse que valeu a pena. A tecnologia de clonagem utilizada no animal poderá ser usada para criar uma biblioteca genética de espécies em perigo de extinção com o objetivo de reproduzi-las no futuro.


Fonte: IFLScience 

Imagem: Sinogene/Reprodução