POLO NORTE MAGNÉTICO

Por que o polo norte magnético da Terra está se movendo em direção à Rússia

Um grupo de cientistas coordenado pela Universidade de Leeds (Inglaterra) acredita ter descoberto o motivo pelo qual o polo norte magnético terrestre está se distanciando do Canadá e se aproximando da Sibéria, na Rússia. Esse estudo garante que o fenômeno se dá pela competição entre duas massas magnéticas no núcleo externo da Terra. 

O professor Phil Livermore explicou que a causa do deslocamento é o padrão de fluxos de materiais derretidos no interior da Terra que provocou a alteração da força das áreas de fluxo magnético negativo. Isso debilitou a parte abaixo do Canadá e aumentou ligeiramente a força da faixa abaixo da Sibéria. “É por isso que o polo norte deixou sua posição histórica sobre o Ártico canadense e cruzou a Linha Internacional de Data”, afirmou Livermore. 

Segundo a pesquisa, publicada na revista Nature, o polo continuará avançando em direção à Rússia, mas em algum momento esse avanço começará a diminuir. Em sua máxima velocidade, ele está percorrendo de 50 a 60 quilômetros por ano. Para chegar a essas conclusões, Livermore e seus colegas se apoiaram fortemente nos dados adquiridos pelos satélites da missão Swarm, da Agência Espacial Europeia. 

Os movimentos do polo norte magnético são resultado em grande parte do núcleo externo da Terra, composto de ferro líquido. Outros fatores também desempenham um papel importante, incluindo minerais magnéticos na crosta e manto superior, bem como correntes elétricas criadas pelo fluxo da água do mar. Mas essas influências são pequenas comparadas com aquelas do núcleo externo.

A partir de meados do século XIX, cientistas perceberam que o polo norte magnético tende a se deslocar. Mas na década de 1990, ele começou a se mover mais rápido, de pouco mais de 15 quilômetros por ano para cerca de 55 quilômetros durante o mesmo período. 

Devido a esses deslocamentos, os mapas geomagnéticos da Terra devem ser atualizados a cada cinco anos para que seja possível navegar pelo globo sem inconvenientes. O Modelo Magnético Mundial traça a diferença entre o norte verdadeiro (ou geográfico, isto é, o Polo Norte) e o norte magnético (o ponto para onde a agulha da bússola aponta). Esses mapas servem de base para guiar equipamentos de navegação, incluindo os utilizados por aviões, navios e GPS.


Fonte: BBC 

Imagens: Shutterstock.com