pré-história

Primeiros humanos das Américas visitaram “hotel mais antigo do continente” há 30 mil anos

Uma nova descoberta indica que humanos visitaram uma caverna em uma parte remota do México há cerca de 30 mil anos. Isso sugere que a presença humana nas Américas é 15 mil anos mais antiga do que se imaginava. No local, foram encontradas mais de duas mil ferramentas de pedra. 

Os artefatos foram encontrados durante escavações na Caverna Chiquihuite, localizada em uma área montanhosa de difícil acesso no norte do México controlada por cartéis de drogas. A análise do material revela uma nova história da colonização das Américas. As novas evidências apontam que os primeiros humanos chegaram ao continente entre 25 mil e 30 mil anos atrás.

"Esses primeiros visitantes não ocuparam a caverna de forma contínua, acreditamos que essas pessoas passavam parte do ano lá usando-a como abrigo de inverno ou verão, ou como base para caçar durante a migração. Este pode ser o hotel mais antigo de todas as Américas", disse o professor Eske Willerslev, da Universidade de Cambridge. "Não sabemos quem eles eram, de onde vieram ou para onde foram. Eles são um enigma completo. Nós presumimos falsamente que as populações indígenas das Américas hoje são descendentes diretos dos primeiros americanos, mas agora não achamos que seja esse o caso", completou o professor Ciprian Ardelean, da Universidade de Zacatecas, no México.

O estudo, publicado na revista Nature, coloca em xeque a teoria que aponta o povo Clovis como os primeiros humanos a colonizarem as Américas, há 15 mil anos. "Quando a famosa população Clovis chegou na América, os primeiros americanos haviam desaparecido milhares de anos antes. Pode ter havido muitas colonizações fracassadas que foram perdidas no tempo e não deixaram vestígios genéticos na população de hoje", explicou Ardelean.


Fonte: St John's College, University of Cambridge, via EurekAlert

Imagens: St John's College, University of Cambridge/Divulgação