MARTE

Professor universitário dos EUA afirma que identificou insetos e répteis em Marte

Um professor de entomologia da Universidade de Ohio causou polêmica ao dizer que há insetos e répteis em Marte. William Romoser fez a afirmação com base em fotos do solo marciano divulgadas pela NASA. Ele declarou que passou anos analisando as imagens para chegar a essa conclusão.

"Parece que o 'Planeta Vermelho' desfruta de uma surpreendente abundância de formas de vida superiores", disse o cientista. "Existe uma aparente diversidade entre a fauna de insetos marciana que exibe muitas características semelhantes às dos insetos terráqueos" completou o especialista em arbovirologia e entomologia geral/médica. As afirmações foram recebidas com espanto pela comunidade científica. 

Ninguém levou a declaração a sério, muito menos a NASA. A Agência Espacial dos Estados Unidos divulgou uma nota negando veementemente as afirmações de Romoser. "A opinião geral da comunidade científica é que as condições atuais da superfície de Marte não são adequadas para a existência de água líquida ou vida complexa", disse Alana Johnson, diretora de relações públicas da NASA à Fox News. A Universidade de Ohio também retirou de seu site o texto que abordava a "descoberta" do cientista.

Tudo indica que Romoser tenha se confundido ao observar meras rochas. O fenômeno de ver padrões familiares em objetos é chamado pareidolia. É isso que acontece quando alguém vê formas de animais nas nuvens, ou identifica rostos enquanto olha para padrões abstratos. Independentemente das afirmações errôneas do cientista, a NASA ressalta que um dos objetivos da missão Mars 2020 é o de investigar se já houve vida em Marte por meio de um rover similar ao robô Curiosity.


Fontes: IFLScience e Fox News

Imagens: William Romoser/Universidade de Ohio/NASA