NAZISMO

Quem foi o militar alemão condecorado por Hitler homenageado pelo Exército brasileiro

Uma homenagem feita pelo Exército brasileiro gerou polêmica. A instituição publicou em seu site um texto em tributo a Eduard Ernest Thilo Otto Maximilian von Westernhagen, major das forças armadas da Alemanha, assassinado no Brasil em 1968. De acordo com a Folha de S.Paulo, o militar havia sido condecorado por Adolf Hitler na época em que os nazistas ocuparam a França.

No final dos anos 1960, Westernhagen veio ao Brasil para participar de programa de intercâmbio no Rio de Janeiro. Ele era aluno da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), onde fez um curso de Altos Estudos Militares. No dia 1º de julho de 1968, o militar foi morto a tiros durante uma ação do grupo armado de esquerda Comando de Libertação Nacional (Colina).

De acordo com o livro “Combate nas Trevas”, de Jacob Gorender, Westernhagen foi assassinado porque teria sido confundido com outro aluno do curso com quem tinha semelhança física, o capitão boliviano Gary Prado, um dos responsáveis pela captura de Ernesto Che Guevara. Os militantes do Colina queriam vingar a morte do guerrilheiro argentino. 

O texto publicado pelo Exército brasileiro descreve Westernhagen como "um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial e das prisões totalitárias soviéticas, cuja vida foi encurtada por um ato terrorista insano e covarde". A publicação dizia ainda que "o Major Otto também tinha a missão de apresentar ao mundo o valor do Exército da Alemanha, tentando desfazer a imagem negativa deixada na Segunda Guerra Mundial". 

Westernhagen foi comandante de um pelotão de blindados na frente Oriental na Segunda Guerra Mundial, sendo promovido ao posto de 1° tenente do exército nazista, por bravura, em 1943. Após o final da guerra e com a reativação das forças militares alemãs, em 1955, foi reintegrado no posto de capitão. 

Em resposta à Folha de S.Paulo, o Exército brasileiro afirmou que rotular o militar como nazista "é desconhecer o processo histórico ocorrido naquele país amigo, no pós-guerra". As forças armadas do Brasil lutaram ao lado dos Aliados contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial. Cerca de 25 mil pracinhas da Força Expedicionária Brasileira (FEB) desembarcaram em solo europeu. Ao todo, houve 443 mortos e cerca de três mil feridos entre os soldados brasileiros.


Fonte: Folha de S.Paulo

Imagem: Exército do Brasil/Reprodução