NAZISMO

Quem herdou a fortuna de Adolf Hitler após o fim da Segunda Guerra Mundial?

No fim da Segunda Guerra Mundial, em 30 de abril de 1945, Adolf Hitler e sua amante Eva Braun teriam cometido suicídio para não serem capturados pelo exército da União Soviética. Um dia antes, o líder nazista escreveu um testamento registrando seus últimos desejos. Para quem o führer da Alemanha teria deixado sua fortuna?

O testamento de Hitler foi encontrado com um oficial nazista chamado Heinz Lorenz, capturado por autoridades britânicas. Lorenz havia trabalhado como assessor de imprensa de Joseph Goebbels, ministro da propaganda do Terceiro Reich, e foi preso usando uma identidade falsa. Ele levava o testamento do líder nazista escondido na ombreira de sua jaqueta.

Herman Rothman, um judeu alemão que trabalhava para a inteligência britânica, foi um dos convocados para traduzir o testamento. No documento, Hitler tentava justificar suas ações enquanto esteve no comando da Alemanha, expondo seu ódio aos judeus. Ele também detalhava como o governo deveria ser após sua morte.

Quanto aos seus bens, Hitler declarava que objetos de valor sentimental deveriam ficar com parentes e colegas. Ele também deixava pinturas para uma galeria em sua cidade-natal. Fora isso, ele não dava muitos detalhes sobre outros bens. Dizia apenas que o que possuía deveria ficar com o Partido Nazista. Caso o partido não existisse mais, tudo deveria ficar com o estado alemão. "Se o Estado também for destruído, nenhuma outra decisão minha é necessária", escreveu.

Os tradutores ficaram surpresos pela falta de informações sobre a fortuna de Hitler. Mas quanto ela valia, afinal? Na verdade, não há uma estimativa exata de sua riqueza, pois não existem informações confiáveis a respeito. No livro “Hitler's Fortune” (A Fortuna de Hitler), o escritor Cris Whetton calculou que, pouco antes de morrer, o líder nazista possuía um patrimônio que poderia variar entre 1,35 bilhão e 43 bilhões de euros (corrigido para valores de 2003).Uma das maiores fontes de rendimento do ditador era seu livro "Minha Luta", que vendeu milhões de cópias e o deixou rico.

O que se conhecia do patrimônio de Hitler acabou confiscado pelos Aliados, que transferiram para o governo da Bavária a casa que o líder nazista tinhas nas montanhas da região. O que restou do imóvel foi demolido em 1952, para evitar que o local virasse atração turística. Os direitos autorais de "Minha Luta" também passaram a pertencer à Bavária, que impediu sua publicação em idioma alemão (desde 2015 a obra está em domínio público). Um outra propriedade de Hitler, um edifício de apartamentos, acabou sediando uma delegacia de polícia. Também há evidências de que ele tinha contas na Suíça, mas como esse dinheiro nunca foi pleiteado por ninguém, as quantias devem ter sido confiscadas pelo governo do país. 


Fonte: BBC Brasil

Imagem: Bundesarchiv, via Wikimedia Commons