PLANETA

Relatório global revela extinção alarmante de espécies selvagens no nosso planeta

De acordo com o relatório global “Planeta Vivo”, divulgado recentemente pelo World Wide Fund for Nature (WWF, “Fundo Mundial para a Natureza”), a América Latina é o lugar que registra a maior perda de fauna selvagem em todo o continente americano. O documento também afirma que mais da metade dos animais selvagens que existiam na Terra há 40 anos desapareceram, e que as áreas tropicais da América Latina foram os locais mais afetados.

Com o título “Espécie e Espaços, Pessoas e Lugares”, a principal conclusão tirada do estudo é de que as populações de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis de todo o planeta diminuíram 52% desde 1970. A maior queda, em nível mundial, ocorreu com as populações de espécies que vivem em água doce, com 76% de redução nas últimas quatro décadas, enquanto as espécies marinhas e terrestres tiveram uma diminuição de 39% no mesmo período.

Os especialistas ressaltam que as causas dessas quedas estão relacionadas diretamente à superexploração da caça e da pesca, à degradação do solo e da água, à perda de ambientes naturais para pastagens e às mudanças climáticas. Atualmente, a humanidade demanda o dobro do que o planeta pode produzir: “Estamos cortando madeira mais rapidamente do que as árvores podem crescer, usando água doce mais rapidamente do que o tempo que os aquíferos subterrâneos levam para encher e lançando CO2 na atmosfera mais rapidamente do que ela é capaz de absorver”, afirma o documento. O impacto ecológico per capita, que determina o ritmo com que cada pessoa demanda os recursos naturais do planeta, demonstra que é necessário 1,5 planeta para pode sustentar o nível de consumo médio atual.

Assista ao vídeo:

 

Fonte: Clarín