PANDEMIA

Sobrevivente do Holocausto foi a primeira pessoa a morrer de coronavírus em Israel

A primeira pessoa a morrer de COVID-19 em Israel foi um sobrevivente do Holocausto. Aryeh Even, que morava no país desde 1949, após ter deixado a Hungria, tinha 88 anos. O idoso vivia em uma casa de repouso em Jerusalém.

De acordo com a imprensa israelense, diversos moradores e funcionários da casa de repouso se infectaram com a doença. Acredita-se que um assistente social contraiu o COVID-19 de um francês durante uma cerimônia de casamento. A família de Even lamentou não poder estar junto dele em seus últimos dias. Os parentes foram orientados a ficar isolados como precaução.

Seu corpo foi levado para o cemitério por uma equipe em trajes anti contaminação biológica. O funeral foi limitado a 20 pessoas, mantendo pelo menos um metro e meio de distância umas das outras. A enfermeira que cuidou da Even nos seus últimos dias pediu desculpas nas mídias sociais por seu corpo não ter sido lavado de forma ritual conforme os costumes judaicos, em decorrência dos atuais protocolos anti-corona do governo de Israel.

"Lamentamos que ele tenha passado os últimos dias e momentos com seus familiares  impedidos de ficar ao seu lado", disse a família de Even em comunicado, segundo o Times de Israel. 

Even era funcionário do governo israelense. Ele e sua esposa, Yona, participaram de várias missões diplomáticas pelo mundo a serviço do Ministério das Relações Exteriores de Israel. "Ele era um homem amado e querido, teve uma vida plena, foi dedicado à sua família e mostrou força até em seus últimos momentos", disse seu filho. 

Segundo o Ministério da Saúde de Israel, Even sofria de outras condições pré-existentes. Ele ficou internado durante uma semana, mas não resistiu às complicações da doença. Arie Even deixou quatro filhos, 18 netos e um bisneto.


Fontes: Haaretz e NPR

Imagem: Twitter/Reprodução