URSS

Stalin teria tentado criar exército de homens macacos

Os “humanzés” seriam criaturas que reuniriam as melhores características dos humanos e dos chimpanzés. Soldados perfeitos nasceriam desse cruzamento genético bizarro, resultado das ambições megalomaníacas de ditadores como Stalin. Ciência, ficção científica ou realidade? Tudo isso e mais um pouco.

As primeiras experiências de soldados com inteligência humana e resistência física dos chimpanzés foram descritas no livro A Ilha do Dr. Moreau. No mundo real, a trama desse clássico publicado por H.G. Wells em 1896 poderia ter inspirado Joseph Stalin.  Para conceber seu soldado dos sonhos, o líder soviético cooptou Ilya Ivanovich Ivanov, um respeitado biólogo que já havia cruzado espécies com sucesso. O Zubrão, híbrido de gado com bizão, e o Zedonk, híbrido de zebra com jumento, são fruto de suas experiências. Com o apoio financeiro do regime soviético e o respaldo do Instituto Pauster de Paris, Ivanov iniciou os trabalhos para Stalin.

O objetivo inicial era inseminar artificialmente chimpanzés fêmeas com esperma humano. Não deu certo. As técnicas que conceberiam o “exército invencível do futuro” partiram para a proposta da inseminação artificial de mulheres com esperma de chimpanzés. A partir daí, o cientista perdeu o apoio do Instituto Pauster de Paris. Obrigado a concluir seus estudos em um centro de experimentos da União Soviética, Ivanov perdeu também as estribeiras quando o chimpanzé, encarregado de inseminar as cinco “voluntárias”, morreu antes de cumprir sua missão.

Pelo fracasso, Ivanov foi expulso e condenado ao exílio. E assim terminou a fantasia de Stalin. No imaginário popular, porém, o “humanzé” e outras experiências de cruzamento genéticos entre humanos e animais continuam a inspirar histórias de ficção científica na literatura, na TV e no cinema.  


Fonte: New Scientist

Imagem: Shutterstock.com