BIOLOGIA

Super-baratas “invencíveis” desenvolvem resistência a diversos tipos de inseticidas

Reza a lenda que as baratas resistiriam até a uma hecatombe nuclear. Independentemente da autenticidade dessa informação, esses insetos realmente estão ficando praticamente invencíveis. Uma prova disso é que a espécie Blatella germanica L. desenvolveu uma grande resistência aos inseticidas.

Pesquisadores da Universidade de Purdue, em Indiana, constataram que esse tipo de barata se tornou resistente a uma grande variedade de produtos destinados a exterminar insetos. "Baratas que desenvolvem resistência a múltiplas classes de inseticidas de uma só vez tornarão o controle dessas pragas quase impossível apenas com o uso de produtos químicos", disse o cientista Michael Scharf, que liderou o estudo.

Os cientistas fizeram testes ao longo de seis meses. No estudo, os cientistas conseguiram conter o nível das populações de baratas por meio de alternância de inseticidas, mas não foram capazes de reduzir o número de insetos. Scharf disse que a resistência dentro de uma única geração de baratas aumentou às vezes quatro ou seis vezes.

As baratas fêmeas têm um ciclo reprodutivo de três meses, durante o qual podem ter até 50 descendentes. Se esses insetos desenvolvem resistência cruzada a vários inseticidas, uma população contida por um único tratamento pode explodir novamente dentro de alguns meses. É por isso que uma abordagem integrada de gerenciamento de pragas é fundamental, segundo Scharf. Ele recomenda combinar tratamentos químicos com armadilhas e outras técnicas de extermínio.

Baratas são uma séria ameaça à saúde humana. Eles carregam dezenas de tipos de bactérias, como E. coli e salmonela, que podem adoecer as pessoas. Além disso, a saliva, as fezes e partes do corpo que esses insetos deixam para trás podem provocar alergias e asma em adultos e crianças.


Fontes: CNN e Universidade de Purdue

Imagem: John Obermeyer/Purdue Entomology/Reprodução