NAVEGAÇÃO

A surpreendente ligação entre os drones e um navio naufragado em 1744

Em 1744, o navio britânico HMS Victory voltava para a Inglaterra após perseguir uma frota francesa na costa de Portugal. Quando estava nas proximidades de Plymouth, a embarcação naufragou nas águas do Canal da Mancha. Rumores diziam que o barco levava uma grande quantidade de ouro. Mas o verdadeiro tesouro que havia nele era um equipamento precursor do sistema de navegação usado atualmente em GPS e drones.

A bordo do Victory viajava o “espéculo giratório” de John Serson, que antecipava as funções do giroscópio moderno (a ferramenta que hoje permite a orientação de tudo o que se move pelo ar, mar e terra). Serson, um capitão de barco sem educação formal, criou a poderosa invenção que impressionou dois oficiais do alto escalão da marinha britânica. Foram eles que solicitaram que Serson testasse o equipamento no HMS Victory.

Para fabricar seu espéculo giratório, Serson se inspirou em um brinquedo infantil: o pião. Com isso, tentou melhorar o sistema que os marinheiros empregavam para estabelecer a posição de um navio, mediante quadrantes e o traço de um ângulo do Sol até o horizonte. Em caso de neblina, com a impossibilidade de observar o horizonte, esse método era falho. Já o artefato de Serson pretendia criar um horizonte artificial, algo que servisse de referência mesmo em condições de instabilidade .

Infelizmente, o equipamento e o próprio Serson afundaram no navio. Cerca de mil marinheiros morreram no naufrágio. Falida, a viúva do inventor, Sarah Serson, requisitou à marinha cópias dos documentos que descreviam o funcionamento do espéculo giratório. Ela esperava ganhar dinheiro com o equipamento, mas tudo indica que ela não teve sucesso. 

Apenas um século mais tarde, baseando-se no mesmo princípio que Serson, o físico francês Leon Foucault desenvolveu o primeiro protótipo bem-sucedido do giroscópio. Com a invenção dos motores elétricos, o giroscópio evoluiu rapidamente. No início do século XX, nasceu a bússola giroscópica, e com ela, os sistemas modernos de navegação.

A miniaturização eletrônica abriu as portas para todo tipo de dispositivo e tecnologia para se movimentar na Terra e no espaço. Desde pilotos automáticos para aviões e carros, passando por estabilizadores de barcos, até sistemas de navegação para naves espaciais, mísseis e, mais recentemente, drones. Desenvolvidas a princípio para uso militar, essas aeronaves autônomas estão hoje a ponto de revolucionar o comércio eletrônico.

Em 2009, uma companhia de resgate marítimo encontrou os destroços do HMS Victory. Devido à sua profundidade, apenas alguns canhões puderam ser recuperados do navio. Aparentemetnte não havia nenhum carregamento de ouro em seu interior. Seu verdadeiro tesouro,  o espéculo giratório, continua perdido no fundo do mar.


Fonte: BBC 

Imagem: Naufrágio do HMS Victory - Peter Monamy (1681–1749), National Maritime Museum, via Wikimedia Commons