EXTRATERRESTRES

Telescópio Kepler encontra estrela mais misteriosa da astronomia e intriga cientistas

No céu do hemisfério norte, bem acima da Via Láctea, entre as constelações do Cisne e Lira mora, o mais novo mistério da astronomia. Ali foi descoberta uma estrela incomum, invisível a olho nu, mas visível ao telescópio espacial Kepler, que já a acompanha desde 2009.

Durante este período, o que chamou a atenção foram os registros do seu padrão de luz fora do normal. As informações analisadas sugerem que há uma grande confusão de matéria que circunda a estrela, em formação cerrada. Isso seria normal se a estrela fosse jovem, mas não é o caso, já que a estrela possui características de que é madura.

"Nós nunca vimos nada como esta estrela", disse a pesquisadora Tabetha Boyajian, pós-doc da Universidade de Yale."

Enquanto a maioria dos pesquisadores não possui uma explicação sobre a estranha estrela, investigadores do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence, ou Busca por Inteligência Extraterrestre) defendem que seria possível detectar civilizações extraterrestres distantes, procurando por enormes artefatos tecnológicos que orbitam outras estrelas.

De acordo com Jason Wright, um astrônomo da Universidade Penn State, e seus colegas, o padrão de luz incomum da estrela é consistente com um "enxame de megaestruturas", talvez coletores estelares de luz, tecnologia projetada para capturar a energia do astro.

"Aliens devem sempre ser a última hipótese de se considerar, mas isso parece ser algo que se espera de uma civilização alienígena", disse Wright.
Um possível desdobramento na investigação desse caso é usar o Very Large Array (VLA), no Novo México, para detectar se há ondas de rádio emitidas por uma fonte tecnológica extraterrestre.


Fonte: The Atlantic

Imagem: pixelparticle/Shutterstock.com