TERRA PLANA

Terraplanistas contestam astronauta da NASA que postou fotos da Terra feitas do espaço

A Estação Espacial Internacional gira 16 vezes em torno da Terra todos os dias. De lá, a astronauta da NASA Jessica Meir fez diversas fotos incríveis da Terra. Mas, ao postar as imagens no Twitter, ela recebeu várias mensagens desaforadas de terraplanistas. 

Nas fotos postadas por Jessica, a Terra aparece em todo o seu esplendor redondo. Mesmo assim os terraplanistas não se convenceram do real formato do nosso planeta. "Então, a 400 km acima da Terra, você pode ver toda a Terra redonda? Sim, muito convincente", questionou um cético.

Alguns tuiteiros acusaram a astronauta de ter feito as fotos usando uma lente olho de peixe, que distorce as imagens, tornando-as redondas. "Boa tentativa com a olho de peixe, mas (a Terra) é plana", respondeu um usuário da rede social. Outro completou: "Isso é lente olho de peixe. Faz a Terra parecer redonda. Na verdade, a Terra é plana!".

O terraplanismo pode parecer piada, mas, de acordo com uma pesquisa recente do YouGov, cerca de 2% dos habitantes dos Estados Unidos não têm certeza de que a Terra é redonda. Já no Brasil, um levantamento do Datafolha aponta que 11 milhões de brasileiros acreditam que nosso planeta é plano (7% da população). No ano passado, houve até uma convenção reuniu os entusiastas dessa teoria da conspiração.

A mais antiga menção do conceito esférico da Terra data do século 6 a.C., quando a teoria foi abordada por filósofos gregos, como Pitágoras. Aristóteles já aceitava a esfericidade da Terra por bases empíricas em 330 a.C. Com o tempo, a ideia de uma Terra redonda lentamente se espalhou pelo globo e se tornou a visão adotada em todas as principais tradições astronômicas. Uma demonstração prática da esfericidade da Terra foi realizada pela  expedição de circunavegação de Fernão de Magalhães (1519-1522). No século XX, o homem conquistou o espaço, de onde foram feitas imagens provando que o planeta é mesmo redondo. 


Fonte: Mirror.co.uk

Imagem: Jessica Meir/NASA/Reprodução