saúde

Toneladas de frango com salmonela barradas na Europa voltam e são vendidas no Brasil

Dezenas de toneladas de frango congelado brasileiro com salmonela foram exportadas para a Europa nos últimos dois anos. Barrado pelas autoridades europeias, o produto foi devolvido para ser comercializado no Brasil. O Reino Unido sozinho vetou a entrada de cerca de um milhão de aves congeladas. A informação foi levantada por uma investigação que reuniu o jornal britânico The Guardian, a ONG britânica Bureau of Investigative Journalism e a ONG brasileira Repórter Brasil.

No Brasil, é tolerada uma taxa de 20% de contaminação por salmonela em frangos. Enquanto isso, a agência europeia Food Standards Agency (FSA) aceita apenas cerca de 3% de contaminação. Autoridades brasileiras afirmam que a taxa aceita no país é segura e não apresenta risco para a saúde humana.

Segundo o Ministério da Agricultura, como as exigências sanitárias no Brasil são mais brandas do que as europeias, o produto pode ser vendido de dois modos. Caso o frango contenha bactérias que ofereçam risco potencial à saúde humana, ele pode ser cozido e processado para ser usado em forma de empanados, salsichas e mortadelas. Esses frangos representam menos de 1% dos casos. Já os frangos que não oferecem risco à saúde podem ser vendidos "in natura" em supermercados e açougues.

O frango devolvido havia sido exportado para vários países europeus, entre eles Holanda, França, Alemanha, Espanha, Itália, Belgica, Irlanda e Reino Unido. A reportagem aponta que a maior parte do produto foi exportada pelas empresas JBS e BRF. As duas empresas negaram falhas em seus padrões de qualidade.


Fontes: The Guardian e HuffPost Brasil

Imagem: Shutterstock.com