MEDICINA

Transplante de sucesso de corações mortos dá nova esperança para quem espera por doação de órgão

Uma equipe médica do hospital de Sidney, na Austrália, conseguiu reanimar dois corações mortos e transplantá-los, com êxito absoluto, em pacientes doentes. Ambas as operações de reanimação e transplante, realizadas no hospital St. Vincent’s, de Sydney, podem ser consideradas o maior avanço médico da última década, segundo o jornal The Australian.

“A intervenção abre uma nova perspectiva sobre o problema da falta de doação de órgãos”, afirmou Peter MacDonald, diretor da unidade de transplantes de pulmão do hospital. Antes, esse tipo de operação dependia de corações ainda vivos de pacientes com morte cerebral. Agora, a equipe médica conseguiu transplantar dois corações doados após a morte circulatória dos mesmos, ou seja, quando os órgãos já não funcionavam mais. Nos dois casos, os pacientes se recuperaram sem complicações.

A primeira paciente foi Michelle Gribilar, de 57 anos, que sofria uma insuficiência cardíaca congênita. Hoje, passados dois meses da operação, ela já consegue andar cerca de 3 km por dia, dando de 100 a 120 passos sem apresentar nenhum sintoma. “Sou uma pessoa totalmente diferente”, afirma Michelle.

Outro paciente, Jan Damen, de 43 anos, sofria do mesmo problema cardíaco hereditário e recebeu o transplante há duas semanas. “Me sinto ótimo”, afirmou Damen. “Penso que, se não fosse o doador, eu não estaria aqui. Não sou religioso nem espiritualizado, mas é algo difícil de entender”.

Fonte: The Australian