NEUROCIÊNCIA

Tratamento com uso de remédio promete eliminar sofrimento de más lembranças amorosas

Após 15 anos estudando o transtorno de estresse pós-traumático em veteranos de guerra e vítimas de crimes e ataques terroristas, o psicólogo clínico Alain Brunet garante ter encontrado uma maneira de eliminar a dor emocional de uma lembrança traumática, como uma separação amorosa. Seu método se chama “terapia de reconsolidação”.

O pesquisador propõe ao paciente a ingestão de propranolol, um betabloqueador utilizado normalmente para tratar transtornos como hipertensão e enxaqueca, uma hora antes da sessão de terapia. Durante a consulta, ele pede que a pessoa escreva as lembranças detalhadas de seu trauma, lendo-as em voz alta. Segundo Brunet, esse método não apaga as recordações, mas as impede de doer.

Brunet afirma que quando o paciente revive seu evento traumático, o propranolol ataca o aspecto emocional dessa lembrança, inibindo sua reconsolidação e suprimindo a dor que ela provoca. Os testes realizados com esse método revelam que mais de 70% dos pacientes encontraram alívio com apenas algumas sessões. Uma parte relata inclusive a impressão de que os textos produzidos por eles haviam sido escritos por outra pessoa, como se estivessem lendo um livro.

Essa terapia vem sendo comparada com o tratamento do filme "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças",  no qual um casal recém-separado apaga as memórias de seu relacionamento. Mas Brunet diz que seu metódo é diferente. De acordo com ele, em sua terapia as lembranças não se apagam, apenas param de doer.


Fonte: BBC

Imagem:  Filme Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças / Divulgação