Ta Na História

Um golpista vendeu a Torre Eiffel e ela iria virar sucata

Por Thiago Gomide do Tá na História.

Parceria HISTORY e Ta Na História

A torre Eiffel, em Paris, é um dos pontos turísticos mais visitados no mundo.

Construída para um grande evento mundial em 1889, a hoje badalada torre estava aos cacos em 1925. Não chamava atenção. Não tinha público.

Alguns colunistas de jornal até indicavam que o melhor era botar para frente, desmontar, vender, sei lá, dar um fim.

Vendo esse debate, um vigarista teve uma ideia: por que não vender para quem trabalha com sucata?

Forjando documentos oficiais e portando um crachá de funcionário do Governo autorizado a negociar o patrimônio, Victor Lustig ligou para diversos empresários que trabalhavam com ferro velho, sucata, reaproveitamento de materiais.

Dando ainda mais a impressão que a situação era verossímil, Lustig levava os interessados a conhecer o interior e os detalhes da Eiffel.

Um caiu na lábia de Lustig.

Aperte o play pra conhecer tudo sobre essa venda.

O que Lustig fez com a grana? Ele voltaria pra França pra tentar vender novamente a torre? Ele seria preso?

Adianto: o camarada ainda conseguiu enganar Al Capone, nos Estados Unidos.

*

Não deixe de se inscrever no canal. Toda semana tem vídeos sobre personagens e casos históricos no Brasil ou em qualquer canto do mundo.

 

 

THIAGO GOMIDE é jornalista e pesquisador. Foi apresentador e editor do Canal Futura e da MultiRio, ambos dedicados à educação. Escreveu e dirigiu o documentário "O Acre em uma mesa de negociação". Além de ser o responsável pelo conteúdo do Tá na História, atualmente edita e apresenta o programa A Rede, na Rádio Roquette Pinto ( 94,1 FM - RJ). 

A proposta do Tá na História é oferecer conteúdos que promovam conhecimento sobre personagens e fatos históricos, principalmente do Brasil. Tudo isso, claro, com bom humor e muita curiosidade.