MEDICINA

Vacina contra cancer de pulmão já existe e é de graça

Uma vacina contra o câncer de pulmão, desenvolvida em Cuba, pode representar um novo passo na derrubada do embarco comercial imposto pelos Estados Unidos aos cubanos há 55 anos. O medicamento, chamado Cimavax, foi desenvolvido em 2011, ao custo de US$ 1 cada dose, mas o governo cubano disponibiliza a vacina gratuitamente. Agora, em 2015, outros países mostram interesse na vacina, entre eles os Estados Unidos.

O Centro de Imunologia Molecular, em Cuba, concluiu acordos com o Instituto do Câncer Roswell Park, nos EUA, para iniciar um projeto de desenvolvimento de uma vacina contra o câncer de pulmão. A próxima etapa é obter a aprovação da Food and Drug Administration (FDA) para começar os testes clínicos.

O governo Obama está tentando normalizar as relações com Cuba, começando com o banimento das restrições às pesquisas e equipamentos médicos. Geralmente, vacinas contra o câncer são muito caras, mas a Cimavax é relativamente barata para produzir e armazenar. Os fortes efeitos colaterais da medicação contra o câncer não ocorrem com tanta agressividade em quem usa o Cimavax, que apresentou baixa toxicidade. Até agora, seus efeitos adversos incluíram náuseas, calafrios e febre.

O Cimavax não é uma cura para o câncer, e outros estudos ainda serão feitos para entender exatamente os efeitos da vacina. Um estudo constatou uma tendência de melhora da sobrevida em todos os pacientes vacinados.

A vacina contém uma proteína, a EGF, que estima o crescimento de células e é encontrada naturalmente no corpo. Os tumores cancerosos podem estimular o organismo na produção desta proteína, o que faz com que o tumor cresça e se multiplique de forma incontrolável. A vacina, com EGF, entre outros compostos, estimula o sistema de defesa do corpo para a produção de anticorpos que inibem os efeitos do EGF. Isso impede que os tumores fiquem maiores, mas não é possível atacá-los. Ou seja, o Cimavax inibe o seu crescimento e a metástase, dando mais esperanças ao tratamento da doença.

 

Fonte:

IFL Science