natureza

Vaga-lumes correm risco de extinção devido a pesticidas e luz artificial

Um novo artigo publicado por biólogos na revista Bioscience acende o alerta sobre o perigo que corre um dos insetos mais famosos e queridos do mundo: o vaga-lume. Seu habitat está ameaçado pelo uso de pesticidas e pela luz artificial, e, por isso, muitas das quase duas mil espécies estão em risco de extinção. 

Na Malásia, o vaga-lume Pteroptyx tener encontra-se em risco elevado, porque os manguezais e as plantas onde eles se reproduzem se transformaram em granjas e em plantações de palma, para a extração de óleo. Da mesma forma, muitas outras variedades estão em perigo pela luz artificial que ilumina as noites em grande parte do mundo, já que a poluição luminosa impede os rituais de acasalamento dos vaga-lumes. 

"Além de perturbar os biorritmos naturais - incluindo os nossos - a poluição luminosa realmente atrapalha os rituais de acasalamento dos vaga-lumes", disse a entomologista Avalon Owens, doutoranda na Universidade Tufts e coautora do estudo. Outro fator que preocupa os pesquisadores é o chamado "turismo de vaga-lumes". Esse tipo de atividade de observação dos insetos atrai milhares de visitantes em países como México, EUA, Filipinas e Tailândia. O problema é que muitas dessas pessoas que só querem contemplar os insetos acabam pisando neles ou perturbando seu habitat.

O desmatamento indiscriminado, a mudança climática e os incêndios cada vez maiores também contribuem para reduzir o seu habitat. Por tudo isso, os pesquisadores enfatizam a necessidade de se tomar medidas urgentes e adotar pautas que ajudem a proteger não somente os vaga-lumes, mas todos os insetos. Os cientistas assinalam que um “apocalipse silencioso” se aproxima para os insetos, e que mais de 40% deles se encontram em perigo de extinção. 


Fonte: CNN e BBC

Imagem: Shutterstock.com