As “mulheres pedras” da Primeira Guerra Mundial

Em 1918, em plena Primeira Guerra Mundial, um estranho acontecimento ocorreu na cidade de Nova York, Estados Unidos.

Em seus parques e praças começaram a aparecer jovens fantasiadas de pedras ou camufladas com grama seca.

Essas mulheres não haviam perdido a cabeça, mas faziam parte do “Corpo de Reserva Feminino de Camuflagem”, formado, em grande parte, por mulheres com menos de 30 anos com alguma graduação em arte ou design. As jovens se dedicavam a melhorar a incipiente arte da camuflagem bélica,

uma disciplina promovida pelas tropas francesas no início da Primeira Guerra.

Para fazer parte da unidade, as “mulheres pedras” recebiam uma meticulosa formação na arte da guerra.

À luz dos resultados, seu apoio parece ter sido crucial para o exército norte-americano durante a contenda.