Chico Science

Chico Science

Francisco de Assis França, mais conhecido como Chico Science, foi um cantor e compositor e um dos principais idealizadores do movimento Manguebeat, em meados da década de 1990. Ele foi líder da influente banda Chico Science & Nação Zumbi.

Chico Science nasceu em Olinda (PE) no dia 13 de março de 1966 e morreu no dia 2 de fevereiro de 1997, no Recife, com apenas 30 anos, em um acidente de carro em uma das vias que ligam Olinda ao Recife.

 

Movimento Manguebeat

O homem coletivo sente a necessidade de lutar.

Seus dois álbuns gravados - Da Lama ao Caos (1994) e Afrociberdelia (1996) - foram suficientes para sacudir o cenário da música brasileira na década de 90 e dar voz a toda uma nova geração de talentos, em especial, da música pernambucana. Os dois discos foram incluídos na lista dos 100 melhores da música brasileira da revista Rolling Stone. Chico Science misturou ritmos nordestinos, principalmente o maracatu, com suas influências do hip-hop, soul e funk na banda Nação Zumbi.

Um passo à frente e você não está no mesmo lugar.

O grupo lançou, junto com a banda Mundo Livre S/A, um movimento, o Manguebeat, com o manifesto “Caranguejos com Cérebro”. O símbolo do movimento é uma antena parabólica no meio da lama, que alertava para a “noção de progresso” que, na realidade, trazia o caos urbano e a destruição dos manguezais e rios do Recife. O manifesto não se aplicava apenas ao povo que vivia nos manguezais, mas também a toda a classe trabalhadora nacional.  

 

Da Lama ao Caos e Afrociberdelia 

Da lama ao caos, do caos à lama, um homem roubado nunca se engana!

O primeiro álbum do grupo, Da Lama ao Caos (1994), projetou a banda nacionalmente. É considerado um verdadeiro clássico da música brasileira, com um som revolucionário, com mistura de funk, soul, embolada, maracatu e guitarras pesadas. Entre suas faixas, destaque para as músicas A Cidade, Da Lama Ao Caos, A Praieira, Banditismo por uma Questão de Classe, Rios, Pontes & Overdrives.

Uma cerveja antes do almoço é muito bom pra ficar pensando melhor.

O segundo álbum, Afrociberdelia (1996), levou a banda a viagens pela Europa e Estados Unidos, onde foram sucesso de público e crítica. Com destaques para músicas como Maracatu Atômico, Macô e Manguetown, o disco é caracterizado por músicas pop e eletrônica. A Nação Zumbi lançou no ano seguinte à morte de Chico, um álbum tributo com músicas novas e versões ao vivo remixadas por DJs. A banda segue em atividade até os dias atuais.

 

FOTO: Gil Vicente/Fanzine | Sob licença Creative Commons