GUERRAS MUNIDAIS

Dwight D. Eisenhower

Dwight D. Eisenhower foi uma das principais figuras militares dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Foi presidente de seu país entre 1953 e 1961. Dwight David Eisenhower nasceu em 14 de outubro de 1890, em Denison, Texas. Filho de uma família humilde, cujos ancestrais haviam migrado da Alemanha no século XVII, ingressou na academia militar de West Point em 1911. Serviu na Primeira Guerra Mundial como Tenente de Infantaria do Exército. Apesar de não ter visto ação durante o conflito, logo conseguiu ascender ao ranque de Major. No período entre as guerras, sua carreira seguiu em constante ascensão até alcançar o grau de General Brigadeiro em 1941. Nesse mesmo ano, após o ataque japonês sobre Pearl Harbor (em 7 de dezembro), os Estados Unidos ingressaram oficialmente na Segunda Guerra Mundial, e Eisenhower foi enviado para o Quartel General em Washington, onde serviu até junho de 1942 com a responsabilidade de criar planos de guerra contra a Alemanha e o Japão. Em 1942, chegou a Londres como Comandante General das forças estadunidenses na Europa em substituição a James E. Chaney. No final do mesmo ano, estendeu a sua autoridade para as forças aliadas que atuavam na África e que, posteriormente, tomaram a Sicília. Em dezembro de 1943, o Presidente Franklin D. Roosevelt decidiu que Einsenhower deveria ser o Supremo Comandante Aliado na Europa (SHAEF), título que assumiu em janeiro de 1944 e ostentou até o final da Guerra. Foi durante esse período que que recebeu a missão de elaborar o assalto à costa da Normandia no histórico "Dia D", que daria o primeiro passo para a libertação da Europa Ocidental. Um mês depois do "Dia D", o sul da França foi recuperado e, desde então, até o final do conflito na Europa, Eisenhower teve o comando de todas as forças aliadas. Como reconhecimento por seu trabalho frente aos aliados, foi promovido ao grau de General do Exército, o grau máximo das forças armadas norte-americanas (ranque E5, cinco estrelas). Eisenhower demonstrou sempre, em cada posição que ocupou, um grande talento como líder e diplomata, ganhando o respeito e a admiração de seus subordinados. Soube lidar com personalidades fortes e de grande caráter como Patton, Churchill e Montgomery. A confiança depositada nele pelo presidente Roosevelt foi tamanha que, em muitas ocasiões, ele tratou diretamente com Stalin. Seu grande talento para a diplomacia lhe proporcionou uma carreira dentro da política estadunidense, a qual o levou à presidência dos Estados Unidos em 1953, cargo que ocupou até 1961. Entre seus maiores feitos como presidente, vale a pena mencionar a promoção de várias leis contra a segregação racial. Eisenhower morreu em 28 de março de 1969, sendo admirado e respeitado, tanto pelo mundo político quanto pelo mundo militar.