Mike Tyson

Mike Tyson

Nascido no Brooklyn, em Nova York, nos Estados Unidos, em 1955, o boxeador Mike Tyson se tornou o mais jovem campeão mundial dos pesos-pesados em 1986, aos 20 anos. Ele perdeu o título em 1990 e mais tarde cumpriu pena na prisão após ter sido condenado por estupro. Depois ele ganhou mais notoriedade por morder a orelha de Evander Holyfield durante uma luta em 1997. Tyson também apareceu em diversos filmes, incluindo um documentário, além de estrelar um show da Broadway baseado em sua vida.

 

Juventude e criminalidade

Em sou um bom amigo, mas sou um inferno para os inimigos.

Michael Gerard Tyson nasceu em 30 de junho de 1966, no Brooklyn, em Nova York, nos Estados Unidos, filho de Jimmy Kirkpatrick e Lorna Tyson. Quando Michael tinha 2 anos, seu pai abandonou a família, deixando para Lorna a tarefa de cuidar dele e de seus dois irmãos, Rodney e Denise. Lutando para se sustentar, a família Tyson se mudou para Brownsville, um bairro conhecido pelo alto nível de criminalidade.

Baixinho e tímido, Tyson era alvo constante de bullying. Para se defender, ele desenvolveu um estilo próprio de briga de rua, o que acabou o levando para a criminalidade. Sua gangue o incumbiu de limpar caixas registradoras enquanto membros mais velhos apontavam armas para as vítimas. Na época ele tinha apenas 11 anos. Aos 13, ele já havia sido preso mais de 30 vezes.

Devido ao mau comportamento, Tyson foi parar em um reformatório. Lá ele conheceu o orientador Bob Stewart, que havia sido um campeão de boxe amador. Tyson queria que Stewart o ensinasse a usar os punhos. O orientador só aceitou a proposta com a condição de que Tyson ficasse longe de problemas e se dedicasse mais aos estudos.

 

Promessa de virar campeão

Eu não pretendo fascinar o mundo com a minha personalidade.

Em 1980, Stewart havia ensinado tudo o que sabia a Tyson. Ele apresentou o aspirante a boxeador ao lendário empresário do boxe Constantine "Cus" D'Amato, que tinha um ginásio em Catskill, Nova York. D'Amato era conhecido por apostar em jovens talentos e prometeu transformar Tyson em um campeão.

Além de profissional, a relação entre os dois era de pai e filho. Quando saiu do reformatório, aos 14 anos, Tyson passou a viver sob custódia de D'Amato. O jovem entrou em um rigoroso esquema de treinamento. A vida de Tyson parecia estar melhorando, mas em 1982 ele sofreu alguns revezes. Sua mãe morreu de câncer e ele foi expulso da escola devido a seu comportamento violento.

Tyson continuou seus estudos com tutores particulares enquanto treinava para as etapas classificatórias das Olimpíadas de 1984. Apesar de não ter se classificado para a equipe olímpica, D'Amato decidiu que era hora de Tyson virar profissional. O treinador planejava que seu pupilo se tornasse campeão dos pesos-pesados antes de completar 21 anos, quebrando o recorde de Floyd Patterson.

 

Carreira profissional

As pessoas te adoram quando você tem sucesso, mas, caso não, quem realmente se importa com você?

Em março de 1985, Tyson fez sua estreia profissional em Albany, Nova York, contra Hector Mercedes. Aos 18 anos, ele nocauteou o adversário no primeiro round. Os pontos fortes de Tyson, punhos rápidos e notável habilidade de defesa, intimidavam seus oponentes, que frequentemente tinham medo de atingir o lutador.

O ano foi de sucesso para Tyson, mas também teve tragédias. D'Amato morreu de pneumonia em 4 de novembro de 1985. O boxeador ficou abalado com a perda do homem que considerava um pai adotivo. Kevin Rooney assumiu o lugar de D'Amato como treinador e em duas semanas retomou sua carreira. Ele conquistou seu 13º nocaute em Houston, Texas, e dedicou a vitória a D'Amato. Pessoas próximas a Tyson acreditam que ela nunca tenha superado a perda do mentor, e atribuem a isso o comportamento errático do boxeador.

 

Recorde de vitórias

Estou acabado. Não vou mais envergonhar o boxe.

Em 1986, aos 20 anos, Tyson tinha um recorde de 22 vitórias e nenhuma derrota – 21 das lutas haviam sido vencidas por nocaute. Em 22 de novembro de 1986, Tyson finalmente atingiu seu objetivo: conquistou seu primeiro título mundial ao derrotar Trevor Berbick por nocaute no segundo round pelo World Boxing Council. Aos 20 anos e quatro meses, ele bateu o recorde de Patterson e se tornou o campeão mundial mais jovem da história.

O sucesso de Tyson nos ringues não parou por aí. Ele defendeu seu título contra James Smith em 7 de março de 1987, acrescentando o título de campeão da World Boxing Association à sua lista de vítórias. Em 1º de agosto ele se tornou o primeiro peso-pesado a conquistar os cinturões das três principais associações, quando tirou de Tony Tucker o título de campeão da International Boxing Federation.

 

Casamento e prisões

A ascensão de Tyson de delinquente juvenil a campeão de boxe o colocou no centro das atenções da mídia. Ao conquistar rapidamente a fama, Tyson passou a ter uma vida noturna agitada e a sair com várias estrelas de Hollywood. Ele começou a namorar com Robin Givens, com quem casou em 7 de fevereiro de 1988.

Nos ringues, Tyson parecia estar declinando. Depois de várias vitórias árduas, ficou claro que ele não era mais o mesmo. O boxeador culpou seu treinador, Rooney, e o demitiu em 1988.
O casamento dele também estava desmoronando. Relatos de violência doméstica começaram a chegar à imprensa em junho de 1988. Givens e sua mãe saíram de casa depois que a polícia foi chamada para conter Tyson, que estava jogando os móveis pela janela.

Na mesma época, Tyson entrou em uma disputa na Justiça para romper o contrato com seu empresário, Bill Clayton. Após um acordo extrajudicial, Tyson firmou uma parceria com o promotor de lutas de boxe Don King. A manobra indicava que sua carreira estava no rumo certo, mas sua vida pessoal estava saindo de controle.

 

Comportamento  violento

O comportamento de Tyson se tornou cada vez mais violento e imprevisível. Ele se meteu em brigas e em um acidente de carro, que tabloides afirmaram ter sido uma tentativa de suicídio. Em setembro, Givens e Tyson deram uma entrevista a Barbara Walters, na qual a mulher do boxeador descreveu o casamento deles como sendo um “puro inferno”. Logo depois eles se divorciaram em um processo longo e desgastante nos tribunais.

Este foi apenas o início das batalhas de Tyson com as mulheres. No fim de 1988 ele foi processado por comportamento inadequado contra duas clientes de uma casa noturna. Em fevereiro de 1989 a separação de Tyson e Givens se tornou oficial.

 

Prisão e volta ao boxe

Tyson voltou aos ringues contra o boxeador britânico Frank Bruno em um esforço para manter seu título de peso-pesado. Ele nocauteou o adversário no quinto round. Em julho de 1989 ele venceu Carl Williams por nocaute. Mas a sucessão de vitórias de Tyson chegou ao fim em 11 de fevereiro de 1990, quando perdeu o cinturão para Buster Douglas, em Tóquio, no Japão. O favorito Tyson foi nocauteado no décimo round, a primeira vez que isso aconteceu em sua carreira.

Tyson se recuperou ao vencer o medalhista olímpico Henry Tillman, além de derrotar Alex Stewart no primeiro round. Mas Tyson perdeu sua batalha nos tribunais, quando perdeu a ação contra a cliente de uma casa noturna que o acusava de abuso. Em julho de 1991 ele foi acusado de estuprar Desiree Washington, uma concorrente ao título de Miss Black American. Em março de 1992 ele foi condenado a seis anos de prisão pelo crime.

O período dele na prisão foi conturbado, tendo sido acusado de ameaçar um guarda. No mesmo ano o pai dele morreu. Tyson se converteu ao Islã na prisão, adotando o nome de Malik Abdul Aziz.

Em 25 de março de 1995, depois de cumprir três anos de prisão, Tyson foi libertado. Em 19 de agosto ele voltou aos ringues em Las Vegas, derrotando Peter McNeeley em apenas 89 segundos. Ele também venceu a próxima luta, nocauteando Buster Mathis Jr. no terceiro round.

 

Luta contra Holyfield

Depois de problemas pessoais e profissionais, Tyson parecia estar passando por uma mudança positiva. Após várias vitórias ele encarou seu próximo grande desafio: lutar contra Evander Holyfield, que havia conquistado o título dos pesos-pesados ao derrotar Buster Douglas.

Em 9 de novembro de 1996, Tyson foi nocauteado por Holyfield no 11º round. Tyson acusou o adversário de dar cabeçadas ilegais e prometeu vingar sua derrota. A revanche aconteceu em 28 de julho de 1997. A luta ficou famosa porque, em um momento de descontrole, Tyson mordeu e arrancou um pedaço da orelha de Holyfield. Tyson foi punido com a perda de sua licença de boxeador, além do pagamento de uma multa de US$ 3 milhões. Pouco depois ele ficou ferido em um acidente de motocicleta.

 

Processo contra Don King, luta com Lewis e aposentadoria

Tyson voltou aos tribunais em 1998 ao processar Don King, a quem acusava de tê-lo passado para trás em milhões de dólares. Ele também processou seus antigos empresários. Tyson e King fecharam um acordo extrajudicial de US$ 14 milhões. Tyson teria perdido milhões no processo.

Em outubro de 1998, Tyson reconquistou sua licença de boxeador. No mesmo período ele pegou nove meses de prisão por ter agredido dois motoristas depois de um acidente de carro.
Nos anos seguintes ele enfrentaria mais acusações de agressões, assédio sexual e incidentes públicos. Sua próxima grande luta seria contra o campeão mundial Lennox Lewis, em 2002. Tyson perdeu por nocaute. Depois de ser derrotado várias vezes, Tyson anunciou sua aposentadoria em 2005.

 

Vida pessoal

Tyson também sofreu em sua vida pessoal durante o período. Ele se divorciou da mulher, Monica Turner, em 2003, após acusação de adultério. No mesmo ano ele declarou falência. Em uma tentativa de pagar suas dívidas, Tyson voltou aos ringues para uma série de lutas de exibição.

Ele também teve que vender sua mansão, indo dormir no sofá de amigos e abrigos, até se mudar para Phoenix, no Arizona. Lá ele comprou uma casa por US$ 2,1 milhões, que ele ganhou em comerciais e fazendo participações na TV e exibições de boxe.

 

Nova prisão

Em 2006 ele voltou a ser preso após quase bater em uma viatura da polícia. Ao ser revistado, a polícia encontrou cocaína em seu carro. Em setembro de 2007 ele se declarou culpado de posse de drogas e dirigir sob o efeito de entorpecentes. Ele foi condenado a 24 horas na cadeia, 360 horas de trabalho comunitário e 3 anos de condicional.

Nos últimos anos ele buscou a sobriedade ao frequentar reuniões dos Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos. Mas Tyson passou por um outro trauma quando sua filha de 4 anos morreu em um acidente doméstico. O ex-atleta é pai de sete filhos com diversas mulheres diferentes.

 

Projetos recentes e problemas

Em 2009, Tyson voltou aos holofotes por sua participação na comédia “Se Beber Não Case”. No mesmo ano ele casou pela terceira vez com Lakiha "Kiki" Spicer. O casal tem dois filhos.
O sucesso de sua participação no filme abriu as portas para outras oportunidades de atuação. Ele apareceu em séries de TV e estreou na Broadway em um espetáculo solo chamado “Mike Tyson: The Undisputed Truth”, dirigido por Spike Lee.

Tyson admitiu que estava novamente lutando contra os vícios no ano seguinte. Após altos e baixos, o futuro dele é incerto.

Em outubro de 2014, um desenho animado de combate ao crime parodiando animações como “Scooby-Doo”, chamado “Mike Tyson Mysteries”, estreou na faixa Adult Swim do Cartoon Network.

 


Imagem: birzer [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons