A BÍBLIA

Moisés

Assim como outros personagens da Bíblia, Moisés aparece nas três principais religiões abraâmicas: Judaísmo, Cristianismo e Islamismo. Em todas elas é considerado um dos mais importantes líderes religiosos, e sua imagem representa o símbolo da lei de Deus. 

 

No Judaísmo, por exemplo, Moisés é considerado o instrumento humano para a criação de Israel, chamado por eles como "Pai de todos os Profetas”, é a quem a autoria da Torá  é tradicionalmente atribuída. No Alcorão, é o profeta que tem a mais longa e detalhada História. 

 

Sua história começa a ser contada quando na época de seu nascimento, o Rei do Egito ordena que todos os meninos hebreus que nascerem, devem ser lançados ao rio. Sua mãe com medo após esconde-lo por 3 meses, cumpre com as ordens do Rei, porém, o menino é resgatado pela própria filha do Faraó, que o adota e coloca o nome de Moises que em referência as circunstâncias de sua adoção significa "retirado das águas".

 

Na Bíblia no Livro Êxodo 2, Moisés já adulto, é obrigado a partir para o exílio, a fim de escapar da pena de morte por ter matado um egípcio que feria injustamente um hebreu. Em Atos 7:30 e Êxodo 7:7 podemos constatar que Moises ficou longe de sua terra entre os 40 e 80 anos de idade, servindo como humilde pastor de ovelhas na região montanhosa de Midiã onde casou-se com Zípora, com quem teve dois filhos, Gérson e Eliézer.

 

Após quarenta anos de exílio, Deus aparece para Moises no monte Sinai, e ordena que volte para sua terra para  libertar o povo de Israel da escravidão no Antigo Egito. Depois de libertá-los, guiou seu povo através de um êxodo pelo deserto durante outros quarenta anos, que iniciou-se através da famosa passagem em que Moisés abre o mar Vermelho (Êxodo 14:21), para possibilitar a travessia segura dos judeus. Em comemoração à vitória, foi dada uma festa em forma de agradecimento, a qual recebeu o nome de festa de Pessach, conhecida como a Páscoa judaica. Ainda segundo Êxodo 24;12, Moisés recebeu no alto do Monte Sinai as Tábuas da Lei de Deus, contendo os famosos Dez Mandamentos.

 

Moisés morreu aos 120 anos (Deuteronômio 34:7), após contemplar a terra de Canaã no alto do Monte Nebo, na Planície de Moabe. Deus foi quem sepultou seu túmulo desconhecido. Decorrente da sua idade, "que você viva até os 120" tornou-se uma bênção comum entre os judeus. A Igreja Católica e Ortodoxa, o veneram como santo, e o dia 4 de setembro é celebrando como seu dia.