Nicolau Maquiavel

Nicolau Maquiavel

Nicolau Maquiavel nasceu em Florença, na Itália, em 3 de maio de 1469, em uma época em que o país estava dividido em quatro cidades-estados rivais.

O jovem Nicolau se tornou um diplomata após a queda temporária do poder da família Medici, em 1494. Ele ficou nesse cargo por 14 anos, na República Florentina, durante o exílio da família Medici. Nessa ocasião, ele ganhou a reputação de demoníaco, e gostava de chocar seus associados, parecendo menos desavergonhado do que realmente era.

Após seu envolvimento em uma tentativa sem sucesso de organizar uma milícia contra o retorno da família Medici ao poder em 1512, Maquiavel foi torturado, encarcerado e banido da política.

Maquiavel aproveitou o período longe da política para ler a história romana e escrever tratados políticos, sendo “O Príncipe” o mais notável deles. A abordagem principal desse trabalho sobre a monarquia é a capacidade do homem de determinar seu próprio destino, em oposição ao poder da fé, ou seja, que pode recorrer a qualquer meio para estabelecer e preservar a autoridade total.

O papa Clemente VIII condenou “O Príncipe” por legitimar a manutenção do poder através do medo. Além de “O Príncipe”, Maquiavel escreveu o tratado “A Arte da Guerra” (1521), entre outros, além de poemas e peças, incluindo a satírica “A Mandrágora” (1524).

Em seus últimos anos de vida, Nicolau Maquiavel morou em uma pequena vila perto de Florença. Ele morreu em 21 de junho de 1527. Hoje, Maquiavel é tido como o pai da teoria política moderna.

 


Crédito: Imagem sob Domínio Público, via Wikimedia Commons